Cerimônia de entrega da Medalha de Honra ao Mérito Indigenista homenageia personalidades que lutam pela causa no Brasil

Finalizando o mês de comemorações pelos 50 anos de criação da Fundação Nacional do Índio, o presidente Franklimberg de Freitas entregou nesta terça-feira (19) a Medalha de Honra ao Mérito Indigenista a 15 personalidades, entre servidores, autoridades e indígenas, que se destacaram por seus relevantes trabalhos em favor da proteção e promoção dos povos indígenas brasileiros. Entre os agraciados estava o cacique Raoni Matuktire, liderança influente no Brasil e no mundo. Participaram do evento, com danças e muita festa, indígenas Kayapó e Paresi.  

ASCOM Funai

Essa é a terceira vez que a Funai concede a comenda, instituída em 1972 por meio do decreto 71.258, de 13 de maio. Nas outras ocasiões, figuras importantes como Darcy Ribeiro, Mário Juruna, Dalmo de Abreu Dallari, Marçal de Souza e Carmem Junqueira receberam a premiação. Este ano, o processo de seleção foi feito de forma democrática por meio dos próprios servidores, que se reuniram e indicaram 10 colegas a serem agraciados. Ficou a cargo de Franklimberg indicar os outros sete nomes, ratificados pelo Ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, através da portaria nº 1175, publicada no boletim interno do Ministério.  

Em seu discurso, o presidente da Funai destacou a luta incansável dos servidores para defenderem os direitos dos povos indígenas e ressaltou que a medalha nada mais é do que um reconhecimento por todo o trabalho desenvolvido. 

“Sabemos que as condições de trabalho nem sempre são as ideais, as distâncias logísticas sempre criam dificuldades para o apoio chegar às comunidades indígenas e os recursos nem sempre são suficientes para atender todas as demandas. Mas, apesar de todas essas dificuldades inerentes à profissão, os servidores da Funai estiveram, estão e sempre estarão presentes nos diversos rincões do território nacional para cumprir a sagrada missão de cuidar dos interesses dos indígenas brasileiros. Parabéns a todos os agraciados por terem se tornado modelo de dedicação e luta incansável por esses povos”, agradeceu Franklimberg. 

Representando os povos indígenas, o cacique Raoni agradeceu a homenagem, elogiou a atuação do presidente Franklimberg à frente do órgão e pediu para que haja paz e mais respeito entre os índios e os brancos. “Estou gostando muito do trabalho do presidente e quero que ele continue trabalhando aqui por nós. Eu penso não apenas no meu povo, mas também no homem branco. Vocês sabem que existe um Deus que criou tudo. Ele deseja que sejamos pessoas boas. Mas vejo drogas, alcoolismo, violência. Vocês não estão obedecendo a Deus. A paz é pregada, mas não vejo vocês fazendo isso. Precisamos viver em paz todos juntos”, disse o Matuktire. 

Agraciados 

“Quero agradecer por todos esses anos que eu convivi com vocês e espero ainda conviver. São vocês que me dão a força que eu preciso para cumprir com o meu dever. Relutei para aceitar essa medalha, porque muitos a merecem, mas a dedico a todos os servidores e ex-servidores da casa que lutam por essa causa”. Artur Nobre Mendes, antropólogo e servidor da Funai. 

“Quero agradecer a todos que indicaram meu nome e reconheceram meus 38 anos em defesa das demarcações das terras e dos povos indígenas. Comemoro os 50 anos da Funai dedicando-os a cada servidor, porque é por eles que o órgão resistiu até hoje”. Cláudio Romero, indigenista da Funai.

“Como dizia Dom Bosco: ‘Deus nos colocou no mundo para os outros’. Nós, servidores da Funai, fomos colocados neste mundo para servir aos povos indígenas”. Márcio Nascimento, indigenista da Funai.

“A palavra que resume meus 32 anos de Funai é gratidão. Comemoremos a vida, o amor, o trabalho que fazemos. Ser Funai é uma das missões mais difíceis desta terra. Mas nossos povos são resistentes e continuaremos lutando. Quero que essa homenagem chegue à terra indígena mais distante, para que eles saibam que estamos aqui por eles”. Maria Helena Sousa.

Veja a lista de todos os agraciados:

 

Artur Nobre Mendes – Antropólogo Funai
Claudio dos Santos Romero – Indigenista Funai
Cleide de Albuquerque Moreira – Bibliotecária Funai
Edívio Battistelli – Indigenista Funai
Eduardo Dias da Costa Villas Bôas – Comandante do Exercito
Elio de Melo Palmeira – Indigenista Funai
Francisco dos Santos Magalhães – Indigenista Funai
Marcelo Antônio Elihimas – Indigenista Funai
Marcio José Alvim do Nascimento – Indigenista Funai
Maria Elaine do Nascimento Oselame – Indigenista Funai
Maria Helena Sousa da Silva Fialho- Professora Funai
Nicodemo Marciano Cardoso – Indigenista Funai
Raoni Metuktire – Liderança Indígena
Rômulo Siqueira de Sá – Indigenista Funai
Torquato Jardim – Ministro da Justiça e Segurança Pública

 

Veja as fotos do evento: http://bit.ly/2BKDZQx

 

Priscilla Torres
ASCOM Funai

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.