19ª Tertúlia Portugal Brasil

Será realizada no próximo dia 17 de julho de 2021, sábado, a 19ª Tertúlia Portugal Brasil, sob o tema: “Marcos Portugal: um incontornável Património Cultural luso-brasileiro”, tendo como Convidado apresentador: António Jorge Marques

O grupo de trabalho transnacional capitaneado pelo Prof. Dr. Cesar Bargo Perez e pelo Cel. Elcio Secomandi, por parte do Brasil, e pelo General Rui Moura, por parte de Portugal, promove, no próximo dia 17 de julho de 2021, a “19ª Tertúlia Portugal Brasil.”

19ª TERTÚLIA PORTUGAL-BRASIL
SÁBADO, dia 17/julho/2021,
22h00 – 23h40 (hora de Lisboa) / 18h00 – 19h40 (hora de Brasília),

TEMA: “Marcos Portugal: um incontornável Património Cultural luso-brasileiro”

Convidado apresentador: António Jorge Marques

Plataforma Zoom: https://us02web.zoom.us/j/6164543465

RESUMO DA APRESENTAÇÃO

Marcos António da Fonseca Portugal (Lisboa, 24 de Março de 1762 – Rio de Janeiro, 17 de Fevereiro de 1830) foi o mais famoso e prolífico compositor luso-brasileiro de todos os tempos; foi também o autor dos primeiros hinos nacionais de Portugal (1809) e do Brasil (1822). Pesquisas e estudos recentes estabelecem definitivamente a importância e a influência da sua vasta obra dramática e religiosa no contexto europeu e luso-brasileiro.
Apesar de ser uma figura notável da cultura portuguesa e brasileira, o legado musical que construiu foi, até muito recentemente, ignorado e desprezado. Uma das razões para isso foi o aproveitamento político da sua persona que, na segunda metade do século XIX e no século XX, viria a adquirir contornos pouco simpáticos ou recomendáveis. No Brasil essa visão incluiu a desconsideração pela sua obra, quase sempre em contraste muito pouco favorável com a obra do compositor nascido no Brasil e mestre das capelas real e imperial do Rio de Janeiro, José Maurício Nunes Garcia (1767-1830). As teses da Semana de Arte Moderna (São Paulo, 1922) e os ideais nacionalistas tiveram como consequência uma elevação do tom das críticas, levando o musicólogo brasileiro Renato de Almeida a escrever: «[…] é quase falta de patriotismo não falar mal de Marcos Portugal.» (1942).
Para além de refutar algumas ficções e erros propagados pelos biógrafos de Marcos Portugal – através da utilização de novas fontes primárias –, esta palestra relevará a dará a conhecer uma ínfima parte deste incontornável Património Cultural luso-brasileiro.

CURRICULUM VITAE – António Jorge Marques
Flautista (Escola Superior de Música de Lisboa, 1992) e musicólogo (Universidade Nova de Lisboa, 1999 e 2010), é investigador integrado do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (FCSH/UNL).  Desde 2000 que se dedica ao estudo e divulgação da vida e obra de Marcos Portugal.
Na tese de doutoramento, A obra religiosa de Marcos António Portugal (1762-1830): catálogo temático, crítica de fontes e de texto, proposta de cronologia, desenvolveu extensos estudos caligráficos e de tipos de papel. A base de dados que adveio dessa investigação, MARCOSMUS, foi publicada pelo Bernstein Project em The Memory of Paper, uma página em 10 línguas sobre papel e a sua história, depositária de 47 colecções e mais de 260.000 marcas de água pesquisáveis. É o autor da edição crítica da Missa Grande de Marcos Portugal (2009) que tem estado na génese de concertos em Portugal, Inglaterra, França, Espanha e Alemanha, além de duas gravações em CD (Portugal e França). Comissariou a exposição Marcos Portugal (1762-1830): 250 anos do nascimento, realizada na Biblioteca Nacional de Portugal (Outubro 2012 / Janeiro 2013) e no Palácio Ducal de Vila Viçosa (Junho a Setembro 2013). Em Outubro de 2014 ganhou uma menção honrosa no 6º Concurso Internacional Principe Francesco Maria Ruspoli com o ensaio Niccolò Jommelli rediscovered: a new autograph of a 16 voice Laudate pueri [Niccolò Jommelli redescoberto: um novo autógrafo de um Laudate pueri a 16 vozes]; o ensaio e a reconstrução da obra acabam de ser publicados em (Saggi Ruspoli, Libreria Musicale Italiana, 2021). O projecto conjunto com o Coro de Câmara de Lisboa, dedicado às publicações de música religiosa de Marcos Portugal no século XIX, foi financiado pela Direcção-Geral das Artes em duas ocasiões (2017 e 2019), resultando na publicação de um livro com a edição crítica de quatro obras e o lançamento do CD correspondente. Desde 1982 que canta e colabora com o Coro de Câmara de Lisboa.

AS TERTÚLIAS JÁ REALIZADAS ESTÃO DISPONÍVEIS NO YOUTUBE:  TERTÚLIAS PORTUGAL BRASIL 

Comissão Organizadora do Projeto Tertúlia Portugal-Brasil:
– Major General Rui Moura, Reserva do Exército de Portugal;
– Prof. Dr. Cesar Bargo Perez, Pesquisador da Universidade Católica de Santos; e
– Cel Rfm/EB Elcio R. Secomandi, Pesquisador e Professor Emérito da Universidade Católica de Santos  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*