Festa da Árvore começa nesta terça (26) no Museu Goeldi

Com diversas atividades como trilhas, manuseio de mudas, contação de histórias e sorteio de brindes, a Festa Anual da Árvore homenageia a espécie ameaçada de extinção conhecida como pau-rosa (Aniba rosaeodora). A programação vai até domingo (31) no Parque Zoobotânico.

De terça-feira (26) a domingo (31), o Museu Paraense Emílio Goeldi realiza a Festa Anual da Árvore. O evento chama atenção para a importância das árvores e busca conscientizar a população dos riscos e ameaças que atingem a natureza e, consequentemente, a vida humana. Neste ano, a árvore homenageada é o pau-rosa (Aniba rosaeodora), espécie de porte médio e beleza singular, atualmente ameaçada de extinção.

“A Festa Anual da Árvore é um evento pensado de forma lúdica para aproximar cada vez mais a ciência da população. Como em todos os anos, escolhemos para homenagear uma espécie ameaçada de extinção e, quem cumpre esse papel nesta edição, é o pau-rosa. É uma forma também de reforçar o dia 24 de março como Dia da Árvore para as regiões Norte e Nordeste do Brasil”, destaca a chefe do Serviço de Educação do Museu Goeldi, Ana Cláudia Silva.

A programação inicia com a chamada trilha vermelha, um passeio pelo Parque Zoobotânico que segue a rota das espécies ameaçadas. Voltada para as escolas previamente agendadas, a atividade vai abrir a Festa Anual da Árvore e será guiada pelos mediadores do Núcleo de Visitas Orientadas (Nuvop) do Museu Goeldi.

Manuseio de mudas – Um diferencial da programação de 2019 é a oficina de transplantio de mudas de palmeiras. Na atividade, o público poderá retirar mudas da planta que estarão disponíveis nos canteiros do parque e transportá-las para os sacos adubados. Cada participante poderá levar sua muda para casa.

A escolha da palmeira não é à toa. Ela possui “elevada capacidade de regeneração e bom índice de sobrevivência após o transplantio”, conforme esclarece Amir Lima, chefe do setor da Flora do Parque Zoobotânico e um dos responsáveis pela oficina. A instituição dispõe de uma coleção especial com mais de 60 espécies e que faz parte da coleção botânica histórica que teve início com a constituição do parque. Entre as espécies, estão o miriti ou buriti (Mauritia flexuosa), o tucumã (Astrocaryum vulgare), a jarina (Phytelephas macrocarpa), o babaçu (Orbignya speciosa) e o açaí (Euterpe oleracea).

Idosos – Uma atividade especial foi preparada para o público da terceira idade, a oficina “As essências da Amazônia e sua utilização”, que permitirá o acesso a informações específicas sobre as plantas regionais da Amazônia e suas utilizações. Entre elas, o patchouli (Pogostemon cablin), jaborandi (Pilocarpus jaborandi), cumaru (Dipteryx odorata), priprioca (Cyperus articulatus) e a homenageada pau-rosa. Após as orientações, os participantes produzirão sabonetes artesanais, utilizando as essências.

A atividade tem relação com o projeto “Potencialização e valorização do saber do idoso”, proposta socioeducativa desenvolvida pelo Serviço de Educação do Museu Goeldi que alia difusão do saber científico ao incentivo de práticas voltadas à qualidade de vida. “Essas atividades estimulam a criatividade, a memória, a coordenação motora e o entrosamento entre um e outro”, argumenta Filomena Secco, coordenadora do projeto. Nesta edição, além dos participantes regulares do projeto, haverá a inclusão de um grupo da terceira idade do bairro do Aurá, inscritos pelo Centro de Referência de Assistência Social.

Domingo de Ciência – O encerramento da Festa Anual da Árvore será com o “Domingo é Dia de Ciência”, que concentrará uma série de atrações, incluindo a participação do Macaco Ximbica e a turma do Programa Natureza. Haverá atividade cênica, dinamização de kits e jogos do Clube do Pesquisador Mirim, além do sorteio de brindes. Com a manipulação de fantoches, será narrada a história “Por que o céu é tão longe?”. A trilha vermelha também será uma opção livre para os visitantes do Parque.

Pau-rosa – O pau-rosa (Aniba rosaeodora) é uma árvore nativa da região amazônica, com ocorrência em florestas de terra firme, sobretudo em áreas ribeirinhas não inundáveis. De porte médio, a planta pode chegar a até 30 metros de altura e troncos de 40 a 70 centímetros de diâmetro. De odor forte, alcoólico e perfumado, a madeira do pau-rosa é utilizada em produtos artesanais para a aromatização de roupas e armários, utilização de móveis e, pelos índios, de canoas e outros afins. O óleo essencial da planta, obtido pela destilação da madeira, também pode ser utilizado como ingrediente em vários produtos cosméticos, como sabonetes e perfumes.

Festa da Árvore – O Dia da Árvore, nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, é celebrado em 24 de março, de acordo com o Decreto Nº 55.795, de 24 de fevereiro de 1965. Em função das diferenças climáticas, as regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste fazem a celebração a cada 21 de setembro. O Museu Goeldi, no Pará, tradicionalmente inclui nas suas atividades alusivas à data a Trilha Vermelha como forma de divulgar a Lista de Espécies Ameaçadas de Extinção, documento elaborado sob a coordenação do Museu Goeldi, em parceria com a Conservação Internacional e a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará.

FONTE:   Agência Museu Goeldi –    Notícias

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.