Poluentes ambientais são matérias-primas para a pesquisa

Identificação de novos poluentes ambientais é essencial para se remediar efeitos adversos ao ambiente.

Poluentes ambientais consistem em qualquer produto químico sintético ou natural, além de microrganismos, que não sejam comumente monitorados ou regulados no meio ambiente, e apresentam efeitos adversos à saúde humana e ao ecossistema. A grande parcela destes poluentes advém da atividade agropecuária, e de produtos que fazem uso de biomassa como sua base. De acordo com o pesquisador da Embrapa Agroenergia, Silvio Vaz Junior, estão incluídos nesta categoria de poluentes também produtos farmacêuticos e para cuidados pessoais, pesticidas, produtos industriais e domésticos, metais, surfactantes, aditivos industriais e solventes e os microplásticos.

Como muitos deles são usados e liberados continuamente no meio ambiente, em concentrações muito baixas, podendo causar toxicidade crônica, desregulação endócrina em seres humanos e animais, além do desenvolvimento de resistência a patógenos bacterianos, a pesquisa busca forma de se conhecer os poluentes emergentes. Uma vez identificado o principio ativo dos produtos oriundos da atividade agrícola pode-se buscar métodos e tecnologias para remediar seu efeito no ambiente ou mesmo usá-lo de forma eficaz para produção diversos bioprodutos. Por isso mesmo, no futuro, em um movimento das Organizações das Nações Unidas (ONU), o principio ativo de todo o produto químico deverá ser registrado.

A Embrapa Agroenergia é um centro de pesquisa é dedicado a desenvolver soluções tecnológicas inovadoras no contexto da bioeconomia. Dentro deste escopo a unidade vem atuando na identificação de compostos e bioativos de biomassas vegetais e estirpes microbianas. Inserido neste trabalho encontra-se a linha de identificação de poluentes emergentes. O objetivo é caracteriza-los de de modo que estes possam ser aplicados na para a produção de novos produtos que utilizem estes em sua composição, ou que os produtos agropecuários possam ser desenvolvidos de modo a serem menos poluentes.

A linha de pesquisa é conduzida por Vaz Jr.. Dada a relevância do tema, recentemente o pesquisador organizou uma publicação inteiramente dedicada ao tema. O livro Analytical Chemistry Applied to Emerging Pollutants”, apresenta as fontes e destino dessa nova classe de poluentes, bem como as principais ferramentas de análise química para mitigar o efeito alarmante de sua ação na natureza, uma vez que a maioria das tecnologias de tratamento disponíveis não consegue degradá-los. A publicação, descreve as matrizes ambientais representativas (ar, solo e água) e métodos analíticos apropriados para cada uma delas, além de examinar aspectos de toxicologia, quimiometria, preparação de amostras e química analítica verde. “O livro preenche uma lacuna na literatura e é um recurso valioso para todos os profissionais preocupados com o controle de poluentes emergente em situações reais”, enfatiza Vaz.

 

A obra está disponível na Editora Springer em e pode ser acessada por meio do link: https://www.springer.com/la/book/9783319744025 

Conheça mais sobre as linhas de pesquisa da Embrapa Agroenergia, as soluções tecnológicas em desenvolvimento bem como as demãos publicações da unidade em: www.embrapa.br/agroenergia

 

Jornalista responsável

 

Daniela Collares (MTb 114/01)

Embrapa Agroenergia

Agroenergia.imprensa@embrapa.br

61 – 34481581

 

Daniela Garcia Collares, Jornalista e Relações Públicas
Embrapa Agroenergia
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Brasília/DF

daniela.collares@embrapa.br
Telefone: +55 (61) 3448-1581
www.embrapa.br/agroenergia | twitter: @cnpae
Confira também: www.facebook.com/Embrapa
www.facebook.com/Embrapa Agroenergia
instagram: @embrapa.agroenergia
Linkeding: Embrapa.Agroenergy

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.