Operação coíbe retirada de madeira em Tapajós

© Todos os direitos reservados. Foto: Acervo ICMBio
Foram aplicadas multas num total de R$ 200 mil e apreendidas 37 toras de ipê amarelo

Quatro autos de infração, num total de R$ 200 mil em multas, e a apreensão de 37 toras de ipê amarelo e dois carros – uma Toyota Bandeirante e um caminhão –, além de materiais, como diesel, carotes, pneu e câmaras de ar.    

Esse foi o resultado de operação realizada na Floresta Nacional (Flona) do Tapajós, no Pará, em dois finais de semana seguidos (18 e 20 e 25 e 27 de julho), por agentes de fiscalização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A ação, que teve o objetivo de coibir a retirada ilegal de madeira, contou com apoio da PM do Pará.

Denúncias – Há algumas semanas, gestores da unidade de conservação (UC) vinham recebendo denúncias de retirada ilegal de madeira na região conhecida por São Jorge, que tem aproximadamente 11.990 hectares e já integrou a Flona, sendo excluída de seus limites em 2012 pela Lei Federal nº 12.678.

Em campo, a equipe mapeou, aproximadamente, 11 quilômetros de trilhas abertas dentro da UC e cerca de 40 árvores de ipê amarelo derrubadas. A operação foi denominada de “Caçadores de Ipê – Parte I” e “Caçadores de Ipê – Parte II”.

Segundo os fiscais da unidade, o ipê amarelo é uma das madeiras mais caras da Amazônia. O metro cúbico da tora é vendido por valores que vão de R$ 500 a R$ 1 mil, podendo passar de R$ 2 mil quando a madeira é beneficiada.

Comunicação ICMBio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.