Secretários municipais debatem questões ambientais em Manaus

Secretários de 62 municípios do Amazonas começaram a debater na manhã da quarta-feira (27) no II Fórum de Secretários Municipais de Meio. Os principais assuntos foram o Cadastro Ambiental Rural (CAR/AM), Lei 3.635 de 6/7/11, e o Plano Estadual de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Amazonas.

A titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), Nádia Ferreira, explicou a necessidade de reunir os secretários municipais de meio ambiente para compartilhar, discutir e encontrar soluções para os desafios da gestão ambiental do Estado. “Não dá para o Estado ter uma política ambiental se não for compartilhada com os municípios”, afirma Nádia.

No primeiro dia de discussão, os secretários focaram em ações estratégicas de combate ao desmatamento em seus municípios e concordaram em apoiar o trabalho do Estado no Cadastro Ambiental nas propriedades rurais (CAR). “O CAR é um trabalho novo, que teve a Lei recentemente aprovada pelo governador Omar Aziz, e que precisamos implementar. Essa Lei traz um grande benefício e a oportunidade que o pequeno, o médio e o grande produtor tem de regularizar ambientalmente a sua propriedade para ter acesso a financiamentos, já que hoje os bancos exigem a regularização ambiental da propriedade e abre a oportunidade de recuperação do passivo ambiental em Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal”, explica a secretária.

O CAR/AM está sob a coordenação da SDS sendo executado pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) em parceria com o Instituto de Desenvolvimento do Amazonas (Idam).  Durante todo o evento o Ipaam estará orientando os secretários municipais acerca dos procedimentos para adesão ao CAR/AM.  “É uma forma de agilizar o cadastro, uma das principais ações ambientais deflagrada pelo governado estadual nesse momento”, afirma Ademir Stroski, presidente do Ipaam.

 Desmatamento

A secretária Nádia Ferreira, explicou que o Amazonas vem reduzindo cada vez mais os focos de calor, porém, houve aumento do desmatamento nos dois últimos meses em toda a região amazônica, possível conseqüência sobre a discussão sobre o Código Florestal. “Essas discussões fizeram com que o desmatamento aumentasse em toda a Amazônia, não é um caso isolado no Amazonas. Nós precisamos enfrentar de forma unida. Não queremos impedir a produção, que precisa acontecer, devemos é mudar as práticas de produção, empregar tecnologia e incorporar novas formas de manejar o uso do solo” diz Nádia, salientando ainda que o Amazonas possui área degradada que pode ser reaproveitável.

Na programação desta tarde foi, dentre outros assuntos, a discussão sobre Política Estadual de Serviços Ambientais no Amazonas, Educação Ambiental, Zoneamento Ecológico-Econômico da Sub-Região do Purus.

 

Fonte: A Crítica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.