Aves amazônicas inspiram coleção do Café do Museu Goeldi

O primeiro conjunto autoral da rede de criadores do Café do Museu tendo por base os estudos da instituição científica será lançado neste final de semana, no Parque Zoobotânico da instituição. A Coleção Aves da Amazônia é inspirada em obra importante do zoólogo Emílio Goeldi, ilustrada por Ernst Lohse, e publicada no início do século XX pelo Museu Paraense. Artesãos, artistas e designers criaram uma gama diversificada de peças de vestuário, joias, bijuterias, papelaria, quadros e objetos de decoração.

Entre 1900 e 1906, o naturalista suíço Emílio Goeldi, então diretor do Museu Paraense, produziu três fascículos, com 48 belas estampas que retratavam 337 espécies de aves da região. A publicação reuniu apuro científico, divulgação para leigos e profundo senso artístico. Mais de um século depois, a obra de Goeldi e Lohse continua gerando frutos. O mais recente é a primeira coleção autoral exclusivamente baseada nos estudos do Museu Paraense Emílio Goeldi feita por 12 criadores que participam da rede de artistas da loja do Café do Museu – a Aves da Amazônia. Eles criaram um conjunto diversificado de produtos que pode ser o presente diferenciado do Natal de quem está ligado na natureza e culturas amazônicas. As novidades poderão ser conferidas no lançamento da coleção neste sábado (08) e domingo (09), no Parque Zoobotânico da instituição.

O Parque do Museu Goeldi foi o cenário para as fotos do catálogo

Coleção e Catálogo – Disponível apenas na versão virtual, um catálogo de 66 páginas apresenta as primeiras peças da coleção Aves da Amazônia. São mais de 50 produtos originais, como: joias, biojoias, vestidos, camisas, batas, lenços, saias, faixas, bancos, caixas, marcadores de livros, cadernos, agendas, quadros, bottons, imãs e brinquedos. As criações trazem para perto do consumidor, o colorido, as formas e detalhes de um grupo que atrai atenções nas cidades, no campo e áreas costeiras, estarão em exposição por seus criadores no espaço em frente ao Café do Museu, que fica atrás do Pavilhão Domingos Soares Ferreira Penna (Rocinha), no Parque Zoobotânico, no horário das 9h às 17h.

Os artistas criaram os produtos após participarem de oficinas com os pesquisadores do Museu Goeldi – o historiador Nelson Sanjad e a ornitóloga Maria Luiza Videira Marceliano.   Sanjad, falou sobre o Álbum de Aves Amazônicas e as obras de Ernest Lohse. Maria Luiza, abordou as aves amazônicas, conduzindo os criadores por uma trilha que teve como foco a avifauna do Parque Zoobotânico.

“O Café do Museu é a consolidação de uma estratégia de comunicação entre ciência e a sociedade. Essa estratégia se efetiva por meio de ações educativas e produtos que expressam um encontro de saberes, envolvendo a sensibilidade e a criatividade artística dos criadores e informações científicas nas quais foram inspiradas. É nesse contexto que as peças que compõem esta primeira coleção temática foram inspiradas na obra rara que reúne o resultado das pesquisas científicas realizadas por Emílio Goeldi e ilustradas por Ernest Lohse”, explica Benedita Barros, presidente do Conselho de Curadores do Café do Museu.

Programação – Além de exposição dos produtos, a programação do lançamento terá outras atrações, que agitarão o Parque neste final de semana.

Na manhã de sábado (08) será realizada mais uma edição do Pitada do Goeldi com a participação de Nelson Sanjad. O historiador bate um papo sobre arte e ciência na obra de Ernst Lohse.

Logo após, voltada para o público infanto-juvenil, os visitantes poderão participar de uma oficina de desenho de aves com a ilustradora Lívia Prestes, uma das criadoras da coleção.

Na manhã de domingo (09), o Trio Manarí traz a cultura sonora dos ritmos da região amazônica para o deck do Café. São os sons da floresta. Reconhecidos por seu trabalho de valorização da sonoridade amazônica, o Trio Manarí busca nas lendas, crenças e culturas da região suas referências.

Logo depois da apresentação musical, será realizada a oficina de confecção de fantoches de dedos com a artista Nilma Arraes, direcionado para o público infanto-juvenil.

Em tendas, em frente ao Café do Museu, uma exposição com os produtos diversos dos criadores estará aberta para visita e aquisições durante a manhã e a tarde no sábado e domingo, entre 9h e 17h.

“Os visitantes que veem as aves do Parque Zoobotânico vão poder explorar novos olhares e percepções, despertando a importância para a preservação dessas e outras espécies. O público pode aguardar um catálogo com uma linda e diversificada coleção de mais de 50 produtos, incluindo joias, artesanato, moda, papelaria, brinquedos, entre outros”, afirma Gisele Moreira, da Samaúma Artesanato, que gerencia a loja e livraria do Café do Museu.

A revoada dos Guarás, ilustração de Lohse, inspirou diversas peças da coleção

Lohse – O Álbum de Aves Amazônicas é uma das mais belas obras do zoólogo suíço Emílio Goeldi. O impecável trabalho ilustrativo é do alemão Ernst Lohse, desenhista-litógrafo e fotógrafo que trabalhou no então Museu Paraense em dois períodos distintos: entre 1897 – 1911 e 1926 – 1930, quando foi baleado durante uma revolta popular em frente ao Museu Paraense. Seu gênio artístico está presente, principalmente, em ilustrações e fotografias. É no prédio que leva o seu nome que está instalado o Café do Museu.

Café do Museu – O espaço é um misto de livraria, loja e cafeteria no prédio histórico onde funcionava o laboratório fotográfico da instituição nas primeiras décadas do século XX, sob o comando de Ernst Lohse. O projeto do Café do Museu busca compartilhar o conhecimento científico; promover a interação de saberes; valorizar culturas, recursos e ambientes amazônicos; qualificar a produção regional; estimular a economia criativa com a apropriação, pelos criadores e consumidores, dos resultados de estudos científicos do Museu Goeldi.

Atualmente, a rede de criadores do Café do Museu é formada por 40 produtores, entre povos indígenas, populações tradicionais, artesãos e designers.

Os 12 criadores que assinam os produtos do Catálogo Aves da Amazônia são: Acessórios Trama, Antiquário dos Azulejos, Arte Papa Xibé, Clara Amorim, Fabi Ilustração, Jeannine Art Wear, Kdesign, Leuan Monteiro, Lívia Prestes, Madame Floresta, Oré Fotografia e Artesanato, Yemara Ateliê.

Texto: Phillippe Sendas, Karolainy Lima e Joice Santos.

Serviço | Amazônia Inspira – Lançamento da Coleção Aves da Amazônia

Data: 8 e 9 dezembro de 2018.

Hora: 9h às 17h.

Local: Parque Zoobotânico do Museu Goeldi (Av. Magalhães Barata, São Braz, Belém/PA).

O catálogo de produtos pode ser visto aqui.

 Programação

Sábado, 8 de dezembro

9h30 | Lançamento da Coleção Aves da Amazônia

10h | Pitada do Goeldi – Conversa com o historiador e pesquisador do MPEG Nelson Sanjad sobre arte e ciência na obra de Ernst Lohse

11h às 12h | Oficina de desenho de aves, com Lívia Prestes. Público infanto-Juvenil. Vagas:15 (inscrições no dia)

9h às 17h | Exposição de produtos na loja e tendas

Domingo, 9 de  dezembro

10h | Apresentação musical com Trio Manari

11h às 12h | Oficina Nas Asas da Imaginação – Confecção de Fantoches de dedos, com Nilma Arraes. Público infanto-juvenil. Vagas:15 (inscrições no dia)

9h às 17h | Exposição de produtos na loja e tendas

FONTE: Agência Museu Goeldi

VER MAIS EM: https://www.museu-goeldi.br/aves-amazonicas-inspiram-colecao-do-cafe-do-museu-Goeldi

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.