Terra Indígena Raposa Serra do Sol

14 de Abril de 2011  - Jaime de Agostinho

A mídia de Roraima divulga uma matéria sobre os desintrusados da Terra Indígena Raposa Serra do Sol sob o título “Secretaria do Índio anuncia que casas de desintrusados estarão prontas em 90 dias”. Isso quer dizer o seguinte: existe uma promessa para que dentro de noventa dias, alguns, dos desintrusados da Terra Indígena recebam as casas prometidas no ato da retirada.

A própria matéria da mídia mostra a complexidade da situação. Desintrusadas com uma série de promessas do Governo Federal, só agora as famílias tem uma expectativa de receber suas casas.

Leia a íntegra da matéria jornalística:

Sete anos depois de deixarem a terra indígena Raposa Serra do Sol, 18 famílias retiradas da reserva, que moravam nos municípios de Uiramutã, Pacaraima e Normandia, finalmente devem receber casas populares como forma de concretizar o reassentamento.

O recurso passa o volume de R$ 1 milhão e prevê a construção de 18 habitações. São R$ 725 mil de autoria do ex-senador Augusto Botelho e R$ 400 mil de contrapartida do Estado. As casas deveriam ter ficado prontas em setembro passado, porém um problema no processo licitatório atrasou as construções.

As residências terão 54 metros quadrados, poço artesiano, caixa d’água, dois quartos, sala, cozinha, banheiro e serão entregues rebocadas e pintadas.

As famílias foram reassentadas pelo Incra em 13 de abril de 2007, na antiga fazenda Mac Laren, na gleba Cauamé, que compreende os municípios de Boa Vista e Alto Alegre. Todos já possuem títulos definitivos das propriedades.

De acordo com o titular da Secretaria do Índio, Hipérion Oliveira, dez unidades já estão com as paredes levantadas e o restante está na fase inicial da construção. Segundo ele, o Governo do Estado vai construir com recursos próprios outras seis habitações e abrir 40 km de estrada.

Por meio de uma parceria com a Suframa, ainda vai levar eletrificação rural para todas as moradias. A previsão é que em três meses as primeiras casas sejam entregues aos reassentados. “Estamos iniciando com as famílias um trabalho sobre a viabilidade de produção e técnicas de plantio, para iniciarmos o processo produtivo nos lotes”, pontuou Oliveira.

Os beneficiados eram fazendeiros que receberam – a maioria – lotes com 500 hectares. O recurso foi intermediado pela Cooperativa das Famílias dos Produtores Rurais Reassentados da Terra Indígena Raposa Serra do Sol (Coopersol).

FONTE: Jornal Folha de Boa Vista – jornalista Andrezza Trajano


Palavras-chave: ,


Deixe um comentário

*