Seita peruana domina áreas de plantio de coca na fronteira com Brasil, diz PF

Vestidos em túnicas como na época de Jesus Cristo, os fiéis da igreja peruana Missão Israelita do Novo Pacto Universal pregam que a Amazônia é o lugar ideal para sobreviver ao fim do mundo. 

Leia mais »

Exército denuncia plano internacional sobre a Amazônia (*)

O Brasil tem um déficit de soberania sobre a Região Amazônica. A advertência foi feita por ninguém menos que o comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, em recente audiência pública realizada pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, para analisar o controle de fronteiras e o combate ao tráfico de drogas e armas na região. Na ocasião, ele destacou a necessidade de se ter uma maior atenção com a atuação das ONGs internacionais que operam no País e ressaltou a ameaça representada pelo projeto do “corredor ecológico” proposto pelo governo da Colômbia.   Leia mais »

Comandante militar da Amazônia: produção de cocaína pode chegar ao Brasil

A plantação de coca no Peru já chegou a áreas baixas e úmidas da Amazônia e poderá em breve chegar ao Brasil. O alerta foi feito nesta segunda-feira (24) pelo comandante militar da Amazônia, general Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, durante audiência pública promovida pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), a respeito do tema “Vigilância de Fronteiras – organização, distribuição espacial na Amazônia e no sul do país”.

Leia mais »

PF apreende armas de uso militar em aldeia indígena do Amazonas

PF investiga participação de índios no narcotráfico.
Um dos fuzis possui o símbolo do Exército peruano.

Do G1 AM

A Polícia Federal (PF) apreendeu grande quantidade de armamento em uma aldeia indígena do município de Tabatinga, a 1.106 km de Manaus, na região do Alto Solimões, interior do Amazonas.

No arsenal estão um lançador de granada, dois fuzis de fabricação belga com 18 carregadores, uma sub-metralhadora ponto quarenta, uma pistola calibre nove milímetros, além de munições intactas. Todas as armas estão com a numeração raspada. Um dos fuzis possui o símbolo do Exército peruano.

Segundo a Polícia Federal, as armas entraram no Brasil pelo Peru e pertenciam ao grupo de um traficante peruano conhecido como “Ravier”, preso em março deste ano pela PF. O peruano é acusado de liderar o tráfico internacional de drogas na fronteira entre o Brasil, Peru e Colômbia.

O delegado da PF, Alexandre Rabelo, disse que as pessoas responsáveis pelo armamento foram presas e encaminhados ao presídio de Tabatinga. A PF não descarta a participação de índios no esquema de narcotráfico. “Todos os indícios serão investigados. Vamos apurar todas as possibilidades”, disse.
Todo o armamento apreendido era vigiado por dois colombianos dentro da aldeia Ticuna do Umariaçú, a poucos metros do Município de Tabatinga.
Os colombianos presos devem responder pelos crimes de tráfico de armas de fogo de uso restrito e associação para o tráfico. A pena pode chegar até nove anos de prisão.