Planta nativa da Amazônia inibe em 80% a malária

É o que aponta pesquisas feitas com o extrato da espécie Caferana. Atualmente a Amazônia é responsável por 99% dos casos de malária ocorridos no Brasil

A realização de testes com o extrato de uma planta amazônica, conhecida como Caferana, estuda o fato dela inibir em até 80% os efeitos da malária. É o que aponta a pesquisa ‘Estudo in vitro da atividade antimalárica de extratos e frações dos frutos de Picrolemma Sprucei’, apresentada na segunda-feira, 25 de julho, no Congresso de Iniciação Científica da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Leia mais »

Desmatamento na Amazônia: dinâmica, impactos e controle

O desmatamento na Amazônia procede a um alto ritmo por várias razões,muitas das quais dependem de decisões do governo. O desmatamento leva à perda de serviços ambientais, que têm um valor maior que os usos pouco sustentáveis que substituem a floresta.

Estes serviços incluem a manutenção da biodiversidade, da ciclagem de água e dos estoques de carbono que evitam o agravamento do efeito estufa. Retroalimentações entre as mudanças climáticas e a floresta, por meio de processos tais como os incêndios florestais, a mortalidade de árvores por seca e calor e a liberação de estoques de carbono no solo,representam ameaças para o clima,a floresta e a população brasileira. Eventos recentes indicam que o desmatamento pode ser controlado, tendo a vontade política, pois os processos subjacentes dependem de decisões humanas.

Leia mais »

Boletim Transparência Florestal da Amazônia Legal Junho de 2011

Em junho de 2011, o SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento, do Imazon) detectou 99 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal. Isso representou uma redução de 42% em relação a junho de 2010 quando o desmatamento somou 172 quilômetros quadrados. Desse total 45% ocorreu no Pará, seguido por Mato Grosso (25%), Amazonas (20%) e Rondônia (10%).

Leia mais »

Peru: Vida Indígena na Amazônia Está Ameaçada pelo petróleo

Um documentário de uma hora de duração mostra a vida tradicional de povos indígenas da Amazônia, e como seu estilo de vida baseado na subsistência está ameaçado pela exploração do petróleo e pela monocultura de fontes de energia renováveis, como o óleo de palma.

Leia mais »

Brasil e Colômbia assinam acordo para combater criminalidade na fronteira

Brasil e Colômbia assinam, no dia 5 de agosto, um acordo de operações conjuntas contra a criminalidade na fronteira. A informação foi divulgada hoje (22) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim.

A assinatura do acordo faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado pelo governo federal no início de junho, que tem por objetivo unir as polícias e as Forças Armadas no combate ao crime transnacional.

Leia mais »

Estudo mostra que pecuária ilegal ainda é mais lucrativa

A pecuária na Amazônia vem sofrendo pressões para a regularização fundiária e socioambiental. Tal regularização implicaria em ajustes econômicos desconhecidos ao setor. Neste “O Estado da Amazônia” O instituto Imazon avaliou o impacto da regularização socioambiental no desempenho econômico da pecuária de engorda na região de Paragominas, no Pará.

Concluiu-se que apenas fazendas com ampla escala de produção e alta produtividade seriam rentáveis cumprindo as regras socioambientais. Porém, fazendas irregulares que permanecessem impunes seriam mais rentáveis. Portanto, para estimular a regularizaçãoe práticas sustentáveis serão necessárias ações do setor público (por exemplo, maior eficácia na fiscalização e aumento dos investimentos em infraestrutura e serviços) e privado (por exemplo, boicote contra infratores).

Confira a Publicação: A viabilidade da regularização socioambiental da pecuária no Pará

Fonte: Imazon

Petroleira russa assina acordo com empresa brasileira para explorar petróleo na Amazônia

A exploração de 21 blocos de petróleo na bacia do rio Solimões, no Amazonas, terá a partir de agora a participação da petroleira russa TNK-BP. O comunicado foi postado nesta segunda-feira (18) pela empresa brasileira HRT O&G, em seu site.

Produção de Petróleo na base de Urucu no Amazonas

A empresa russa adquiriu 45% dos direitos exploratórios dos blocos.

Leia mais »

Amazônia: a menina dos olhos do mundo

Símbolo de biodiversidade: antes ameaçado pela caça, o peixe boi amazônico encontra-se agora protegido em muitas reservas

Já foi dito que a Floresta Amazônica é um universo de vida tão vasto e influente que a própria vida na Terra está intimamente ligada a ela. Não é à toa, portanto, que nos últimos anos a maior extensão de floresta tropical do planeta se tornou palco de atenção e preocupação mundiais. Em tempos de mudanças climáticas, o território antes chamado de “pulmão do mundo” agora é visto como “o grande ar-condicionado”, que ameniza o clima planetário enquanto os países desenvolvidos emitem toneladas de gases de efeito estufa. Isso porque a vegetação da Amazônia guarda um estoque inimaginável de carbono. Se liberado na atmosfera pelas queimadas e pelo desmatamento, o gás resultante desse elemento químico paradoxalmente essencial à vida – o dióxido de carbono (ou CO₂) – pode alterar de forma perigosa o clima da floresta e do planeta a níveis insuportáveis para todos os seres vivos.

Leia mais »

Secretários de estado da Amazônia Legal debatem mudanças no Código Florestal

A possibilidade de aumentar o desmatamento em municípios onde existem Unidades de Conservação e Reserva Legal trazida pelo polêmico texto do novo Código Florestal brasileiro é uma preocupação apontada pela secretária Nádia Ferreira, titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS).

Secretária Nádia Ferreira alerta para ampliação da área que ficará vulnerável

Leia mais »

Boletim Risco de Desmatamento Agosto de 2011 a Julho de 2012

Estudo feito pelo instituto Imazon sobre risco de desmatamento em municípios, Áreas Protegidas, Assentamentos e áreas privadas, devolutas ou sob conflitos por posse, para o período de agosto de 2011 a julho de 2012, estimado pelo modelo de risco de desmatamento desenvolvido pelo próprio instituto. O resultado do modelo é um mapa de probabilidade de desmatamento na Amazônia em células de 1 quilômetro quadrado.

Boletim Risco de Desmatamento Agosto de 2011 a Julho de 2012

 

 

Estudo do Imazon prevê aumento do desmate na Amazônia até julho de 2012

Um estudo do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) mostra que o desmatamento do bioma deve subir no período de agosto deste ano a julho de 2012. A maior parte das florestas sob risco está no Pará.

O boletim, estima para o período analisado uma taxa de desmatamento anual de 7.134 km² – um aumento de 10,5% em relação ao observado em 2009/2010, quando foram destruídos 6.451 km² de floresta.

Clique para ampliar

Leia mais »

As hidrelétricas poluem quatro vezes mais que o estimado, segundo um estudo do IC3 e INPA

A emissão de gases que contribuem para o “efeito estufa” de hidrelétricas é quatro vezes maior do que se pensava, segundo um estudo do Instituto Catalão de Ciências do Clima (IC3) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), do Brasil.

UHE Tucuruí

Leia mais »

Países amazônicos se unem para medir desmatamento

Os países da região amazônica iniciarão em agosto uma série de estudos para medir a taxa de desmatamento dessa zona, que abriga 20% das reservas de água doce do planeta, anunciou nesta segunda-feira (11) em Quito a associação que os representa.

O monitoramento sobre desmatamento busca harmonizar critérios para medir a perda de área verde, que varia de país para país, explicou o diretor-executivo da OTCA (Organização do Tratado de Cooperação Amazônica), o boliviano Mauricio Dorfler.

Leia mais »

Plataforma digital promete revolucionar estudos da botânica na Amazônia

A “Era tecnológica” que vivemos é conhecida por realizar grandes feitos a favor do ser humano. A comunicação ganhou maior destaque por causa das transformações pelas quais tem passado. iPad, Tablets, MP10, iPhone, entre outros produtos criados para serem verdadeiros facilitadores da comunicação ganham cada vez mais destaque. Principalmente porque através da internet conseguem manter os seres humanos “conectados”, compartilhando informações em tempo real.

Uma das primeiras contribuições para a plataforma é um guia sobre fungos da Reserva Adolfo Ducke

Leia mais »