Economia florestal ainda não atende às expectativas

O país da maior floresta tropical do mundo tem uma economia florestal pequena, disse o presidente do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) e representante do Fórum Brasileiro de ONGs (organizações não governamentais) e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente, Rubens Gomes. Ele defende a criação de uma política nacional para o uso e gestão de florestas. Leia mais »

AM – Guitarras “verdes” del Amazonas

El barrio de Zumbi dos Palmares II se sitúa al este de Manao, capital del estado brasileño de Amazonas. Antaño era considerado uno de los más pobres y violentos de esta metrópolis de 1,8 millones de habitantes, y aún hoy sigue siendo una región socialmente conflictiva. Pero allí también tiene su residencia el activista por el medio ambiente Rubens Gomes, más conocido como “Rubao”, el “gran Rubens”. Hace 14 años, Rubao ideó un proyecto que une la protección de la amenazada selva amazónica con la música, la artesanía y el compromiso social: el taller-escuela del Amazonas para la construcción de instrumentos de cuerda (OELA). Leia mais »

AM – Cota do Rio Negro pode ser de 30 metros, anuncia CPRM

Órgão realizou nesta quarta-feira (2), o segundo alerta de cheias para o Amazonas. Uma cota de 30,13 metros deve ser registrada pelo rio Negro, na cheia deste ano, conforme o alerta de cheia divulgado nesta quarta-feira (2) em Manaus, pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Leia mais »

AC – Situação continua indefinida na fronteira do Brasil com a Bolívia – desdobramentos

ERBOL sorprendió con la noticia del desplazamiento de 35 mil soldados brasileños a frontera con Bolivia. crece la tensión.

La cancillería brasileña indicó que colonos que viven en la zona fronteriza que separa los departamentos de Pando y Acre denunciaron el accionar violento de los soldados bolivianos. Según la versión, los uniformados coparon las viviendas, mataron ganado y sometieron a los pobladores a maltratos. Leia mais »

BOLÍVIA – Ministro de la Presidencia oculta información sobre concesiones auríferas en la Amazonia

El ministro Juan Ramón Quintana se negó a responder un requerimiento informativo de Sol de Pando sobre acusaciones del dirigente indígena Francisco Hilcha que lo involucran en supuesto tráfico de influencias para concesionar yacimientos de oro en territorios indígenas sin Consulta Previa. El funcionario estatal tampoco aclara su participación en el problema aurífero del cerro San Simón, en la región del Itenez, donde una trasnacional canadiense posee una concesión de casi 300 kilómetros cuadrados. La manera en que el Gobierno viene manejando el negocio del oro en el Itenez provoca tensión limítrofe entre los departamentos de Santa Cruz y Beni. Leia mais »

Demarcação de Terras Indígenas

O jornalista Ricardo Boblat publicou, em 02/05/2012, no seu blog – http://oglobo.globo.com/pais/noblat/ , uma nota sobre a questão da demarcação de terras indígenas. Veja a íntegra da nota:

Dilma dificulta demarcação de terras indígenas

Catarina Alencastro, O Globo

A presidente Dilma Rousseff criou mais uma etapa no processo de reconhecimento de Terras Indígenas (TIs), o que protela ainda mais a definição dessas áreas. Dilma incluiu consulta prévia ao Ministério de Minas e Energia antes de qualquer decisão da Funai.

Essa é a pasta que toca obras de hidrelétricas país afora. O resultado desse novo tratamento é que uma dezena de TIs já demarcadas e prontas para serem oficializadas está com seu destino incerto.

Na semana do Dia do Índio (19 de abril), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi cobrar de Dilma a homologação dessas áreas, cujos processos em sua maioria seguiam encalhados na Casa Civil desde maio de 2011, e foi surpreendido com a pergunta de Dilma sobre se Minas e Energia tinha sido ouvido.

Depois dessa conversa, seis processos de reconhecimento de TIs voltaram ao Ministério da Justiça para reavaliação: Rio Gregório (AC), Riozinho do Alto Envira (AC), Rio dos Índios (RS), Taboca (AM), Cacique Fontoura (MT) e Toldo Imbu (SC). Outros quatro — Tenharim Marmelos (AM), Xipaya (PA), Santa Cruz da Nova Aliança (AM) e Matintin (AM) — seguem na Presidência aguardando assinatura de Dilma. 

Inscrições para o Prêmio Brasil Ambiental já estão abertas

A oitava edição do Prêmio Brasil Ambiental já está com inscrições abertas. Elas se estenderão até o dia 6 de julho próximo. O objetivo é reconhecer as melhores práticas ambientais desenvolvidas por empresas que atuam no país. A premiação é promovida  pela Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (Amcham Rio). Fundada em 1916, a instituição foi a  primeira câmara americana da América Latina. Leia mais »

AM – Comissão nacional aprova redução da Reserva Legal de ZEE do Purus

A proposta de redução da Reserva Legal de 80% para 50% da área que compõe o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) da Sub Região do Purus, no Amazonas, foi aprovada pela Comissão Coordenadora do Zoneamento Ecológico Econômico do Território Nacional (CCZEE), composta por 13 ministérios. Leia mais »

PA – Mudanças no ZEE da Calha Norte

A Lei 7.398/2010, que instituiu o Zoneamento Econômico Ecológico (ZEE) das áreas Leste e Calha Norte do rio Amazonas no Pará sofreu alteração para se adequar à legislação federal. Os deputados aprovaram a mudança, proposta pelo Executivo estadual, segundo o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Márcio Miranda (DEM), porque a lei aprovada anteriormente não havia sido submetida ao Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), entidade que detectou a necessidade de adaptação da legislação estadual à da União. Leia mais »

Comissão Nacional rejeita programa de zoneamento do Mato Grosso

Após o Ministério Público Estadual mover liminar para a suspensão dos efeitos da Lei 9.523/11, que institui o Zoneamento Socioeconômico e Ecológico de Mato Grosso (ZSEE/MT), a Comissão Nacional do Zoneamento também se manifestou contrária à proposta elaborada pelos deputados estaduais e sancionada pelo governador Silval Barbosa em 2011. Erros técnicos e jurídicos foram uns dos motivos que fizeram com que a comissão formada por membros de 14 ministérios rejeitasse a lei em reunião ordinária realizada em Brasília no último dia 29. Leia mais »

MA – Polícia investiga assassinato de líder indígena

A Delegacia da Polícia Civil em Grajaú, no Maranhão, está apurando quem são os autores do assassinato da líder indígena Maria Pereira Guajajara, de 52 anos, morta a tiros no fim de semana na Terra Indígena Cana Brava, que fica na zona rural do município. Leia mais »

MA – ONG britânica faz campanha por presença da Polícia Federal em terra indígena

 A organização não governamental britânica Survival International, dedicada aos direitos indígenas em várias partes do planeta, está fazendo uma campanha internacional em defesa dos índios Awá-Guajá, ainda isolados, que habitam território demarcado no Noroeste do Maranhão, entre os municípios de Governador Newton Belo, São João do Caru, Zé Doca e Centro Novo do Maranhão (fronteira com o Pará). A estimativa oficial é que existam cerca de 350 índios Awá-Guajá. Leia mais »

AC – Situação continua indefinida na fronteira do Brasil com a Bolívia – desdobramentos

Vicecanciller citará a ministro brasileño por tensión fronteriza

Según el periódico brasileño Folha de Sao Paulo, más de 35.000 militares brasileños fueron enviados hasta Capixaba, región fronteriza con Bolivia, después de la denuncia de que soldados bolivianos presuntamente agredieron a colonos y ocuparon sus viviendas. Leia mais »

AC – Situação continua indefinida na fronteira do Brasil com a Bolívia – desdobramentos

Bolivia explicará a Brasil sobre presunta penetración de militares.

Bolivia recaba información internamente para dar explicaciones a Brasil, sobre las denuncias de que militares bolivianos ingresaron armados al estado amazónico de Acre la semana pasada, informó el vicecanciller Juan Carlos Alurralde, citado por medios locales. Leia mais »

RR – Índios da cidade fazem mapa da violação

 

Representantes da ODIC e da Universidade Federal de Roraima lançam novo projeto (Folha de Boa Vista)

 Eles representam cerca de 30 mil pessoas que vivem na cidade de Boa Vista. Destas, alguns já nasceram na capital e outra grande parcela migrou das comunidades mais próximas, como da região da Malacacheta ou Serra da Lua, ambas localizadas no Município de Cantá, a 26km de Boa Vista. Tratam-se dos índios que vivem na cidade e que saíram há tempos de suas comunidades. Leia mais »