Jogo do Facebook ensina modo ecológico de reaproveitamento de lixo

Os jogos do Facebook ganharam um exemplar ecológico. O game social Trash Tycoon, lançado pela Guerillapps, ensina os jogadores sobre conceitos de sustentabilidade e ecologia, além de exigir tarefas de reciclagem.

O usuário tem o papel de “empreendedor de resíduos”, e uma de suasfunções é coletar objetos descartados, conferindo-lhes novas utilidades, como fazer sacolas ou transformar em insumos para a construção civil. À medida em que cumpre as tarefas, o jogador ganha pontos, dinheiro e, por fim, o título de”Chefão do lixo”.

Segundo um dos criadores do game, o CEO da Guerillapps Raviv Turner, jogos sociais têm a habilidade de afetar os comportamentos da vida real. E além de estimular as mudanças de atitute, o Trash Tycoon doa 10% do valor das compras feitas dentro do jogo para a Carbon Fund, ONG internacional que luta contra asmudanças climáticas.

Aquicultura será destaque de desenvolvimento sustentável durante AmazonTech 2011

Tendo em vista a sustentabilidade na região Amazônica, produtores, pesquisadores e sociedade discutirão a prática da aquicultura como alternativa sustentável para o desenvolvimento durante a realização da 7ª edição do AmazonTech. O evento, que acontecerá pela primeira vez em Palmas, entre os dias 18 e 22 de outubro, no Espaço Cultural, tem como um dos eixos temáticos o uso sustentável dos recursos naturais.

“A aquicultura já é uma realidade na região amazônica em razão do nosso potencial e esse espaço durante o AmazonTech certamente vem consolidar essa prática”, avaliou Alexandre Godinho Cruz, diretor de Aquicultura da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário. Durante o AmazonTech, haverá mesa redonda, oficinas e palestras voltadas para a prática da piscicultura na região. Leia mais »

Emissão de CO2 em nova fronteira agrícola ainda é pouco investigada

Os efeitos do desmatamento na nova fronteira agrícola do Cerrado – formada pelo Maranhão, Tocantins, Piauí e pela Bahia – são menos conhecidos e estudados pela ciência do que em outras áreas do bioma. Os quatro estados formam a parte norte do Cerrado, batizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) como Matopiba.

Leia mais »

Cresce desmatamento em áreas de preservação ambiental, aponta Inpe

Dados do Projeto de Monitoramento do Desflorestamento na Amazônia Legal (Prodes), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), revelam avanço no desmatamento de áreas de conversação ambiental.

De acordo com o Instituto, entre 2000 e 2010 houve um aumento de 127,6 % na área desmatada em 132 unidades de conservação. Os dados são obtidos por meio de imagens via satélite.

Leia mais »

RO: Compensações ambientais das usinas do Rio Madeira devem permanecer no estado

A Justiça Federal concedeu liminar requerida pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal em Rondônia, em ação civil pública protocolada no dia 5 de setembro, determinando que o Ibama, o Instituto Chico Mendes, a Santo Antônio Energia e a Energia Sustentável do Brasil não pratiquem quaisquer atos tendentes a destinar recursos das compensações ambientais decorrentes das Usinas do Rio Madeira a unidades de conservação situadas fora do Estado de Rondônia.

Leia mais »

Legislação para proteção e conservação de florestas não é ‘exclusividade’ brasileira, mostra estudo

Em meio ao acirramento do debate sobre mudanças no Código Florestal, desta vez no Senado, ambientalistas se mobilizam para derrubar um dos argumentos mais usados pelos ruralistas para justificar as flexibilizações na lei: o de que a proteção de florestas é uma anomalia brasileira e que outros países já não estão empenhados na conservação da cobertura vegetal.

Leia mais »

Com alta do ouro, reserva yanomami enfrenta invasão de garimpeiros

A alta do preço no mercado internacional está provocando uma nova corrida do ouro na Terra Indígena Yanomami, em Roraima, uma gigantesca reserva, do tamanho do estado de Pernambuco, onde só se pode entrar com autorização da Funai.

Nos anos 80, essa região já tinha sido invadida por garimpeiros. Falava-se em 40 mil pessoas tentando enriquecer do dia para a noite. O contato com as aldeias provocou uma tragédia. Sem imunidade contra as doenças dos brancos, os índios morriam até pegando gripe.


Leia mais »

Brasil desconhece nível de contaminação de águas subterrâneas

O governo federal pretende desembolsar R$ 15 milhões para que a Agência Nacional de Águas (Ana) investigue possíveis contaminações em áreas que concentram grande volume de água subterrânea.

O objetivo é fazer um levantamento nacional sobre as condições destes locais e delinear ações preventivas para conservar essas áreas da alta concentração urbana, responsável pelo lançamento de rejeitos industriais e esgoto sem tratamento em nascentes e cursos de água.

Imagem do Rio Amazonas, a maior bacia hidrográfica do mundo

Leia mais »

Decrescimento pode frear mudanças climáticas, diz o ambientalista Henrique Cortez à RFI

Negociadores internacionais estão reunidos essa semana na cidade do Panamá para uma última rodada de negociações antes da COP 17, a Conferência do Clima das Nações Unidas, que este ano será realizada em Durban, na Africa do Sul. Para o editor do portal EcoDebate, Henrique Cortez, não se deve esperar, da COP 17, um consenso para metas de redução de gases que provocam o efeito estufa. Segundo ele, a solução para frear as mudanças climáticas é abandonar o modelo produtivista atual e adotar um modelo de decrescimento econômico sustentável.

 

Fonte: PortalSustentabilidade

Governo paulista anuncia que desiste de implantar o projeto de flotação do Rio Pinheiros

Agora de forma definitiva o governo paulista anuncia que desiste de implantar o projeto de flotação do Rio Pinheiros, com o qual se pretendia despoluir as águas do rio e reiniciar a produção de energia elétrica na Usina Henry Borden, em Cubatão. Objetivo meritório de recuperar a operacionalidade de um dos projetos energéticos, Billings, mais fantásticos já concebidos no país: o aproveitamento do desnível de 700 metros da Serra do Mar para produzir energia ao pé da serra com a reversão hídrica de águas do Tietê e Pinheiros. Projeto que foi interrompido em 1989 por obséquio do intolerável grau de poluição das águas urbanasde São Paulo.

Flotação do Rio Pinheiros

Leia mais »

A importância da arborização urbana

No Brasil, 87% da população vive em centros urbanos. O clima urbano difere consideravelmente do ambiente natural. As cidades distanciam-se cada vez mais da natureza, utilizando materiais como ferro, aço, amianto, vidro, piche, entre outros. Estes materiais geralmente são refletores e contribuem para a criação de ilhas ou bolsões de calor nas cidades. Em função disso, o clima é semelhante ao do deserto, quente e seco durante o dia e frio durante a noite. A impermeabilização dos solos causa grandes problemas também na medida em que evitam ou impedem a infiltração da água, forçando-a para a calha dos rios, muitas vezes criando enchentes, já que os rios não conseguem absorver um volume tão grande de água num curto espaço de tempo.

Leia mais »

Ministério Público ajuíza nova ação contra consórcio responsável pela construção de Belo Monte

O Ministério Público Federal no Pará (MPF-PA) entrou com a 12ª ação contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Para o MPF-PA, o consórcio responsável pela obras, liderado pela Norte Energia, está cometendo irregularidades com agricultores da região Transamazônica, que serão removidos da área para dar lugar à usina.

Leia mais »

“Os Estados do Tapajós e do Carajás vão favorecer a Amazônia como um todo”

Ao avaliar o plebiscito pelo “sim” ou pelo “não” da divisão do Estado do Pará, que ocorrerá no dia 11 de outubro, Manuel José Sena Dutra, em entrevista concedida por e-mail à IHU On-Line, acredita que há uma grande indiferença quanto ao plebiscito. Na verdade, para ele as pessoas estão mais preocupadas com seu dia a dia, com a violência que ameaça a população de Belém e do interior do Estado, as migrações, etc. “Por isso, imagino que haverá uma grande abstenção no dia na consulta popular. Quanto aos resultados, são uma incógnita, tanto para os favoráveis como para os contrários. As pesquisas publicadas até agora são visivelmente viciadas e inautênticas para os dois lados.” E  questiona: permanecendo a atual situação, de um Pará “unido”, haverá mais igualdade? Haverá mais honestidade no trato do dinheiro público? Há riscos, sim, para os novos Estados. Porém, onde, em que Estado do país não há desmandos?

Leia mais »

Pesquisadores estudam emissões de CO2 dos rios da Amazônia

Apesar das concentrações de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera estarem aumentando constantemente, principalmente em função da queima de combustíveis fósseis, a ciência ainda tem incertezas sobre as fontes e sumidouros deste gás no planeta. Na imensidão de seis milhões de quilômetros quadrados da Amazônia, por exemplo, estudos indicam que as florestas são as responsáveis. Porém, nos rios da região, as concentrações também são muito elevadas.

Diversas instituições de pesquisas do mundo tentam compreender este contexto, analisando a origem do gás e quanto dele vaga para a atmosfera. Os pesquisadores Alex Krusche, Maria Victoria Ballester e Reynaldo Victória, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena-USP), trabalham no monitoramento de 17 pontos de coleta, distribuídos nos mais variados tipos e tamanhos de rios, e angariam informações para tentar responder estas perguntas.


Leia mais »

Com redução sem precedentes, buraco na camada de ozônio do Ártico é equivalente ao da Antártida

Cientistas afirmaram que, pela primeira vez, registraram um buraco gigante na camada de ozônio na atmosfera superior acima da região do Ártico, parecido com o buraco encontrado regularmente sobre a Antártida, no sul.

Segundo os cientistas, o buraco foi detectado durante vários meses no começo do ano e seu tamanho era cinco vezes o tamanho da Alemanha. Os cientistas afirmaram ainda que, a cerca de 20 quilômetros acima da superfície terrestre, 80% do ozônio tinha desparecido.

 

Leia mais »