Boletim Transparência Florestal da Amazônia Legal Junho de 2011

Em junho de 2011, o SAD (Sistema de Alerta de Desmatamento, do Imazon) detectou 99 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal. Isso representou uma redução de 42% em relação a junho de 2010 quando o desmatamento somou 172 quilômetros quadrados. Desse total 45% ocorreu no Pará, seguido por Mato Grosso (25%), Amazonas (20%) e Rondônia (10%).

Leia mais »

Caçadores de animais silvestres são presos praticando ‘safári’ em MT

Seis homens foram presos em flagrante durante uma operação do Ibama realizada na região norte de Mato Grosso. O grupo foi preso no final da tarde desta quarta-feira (20) e multado em R$ 69 mil pelo instituto.

Espingardas usadas no safári foram apreendidas em fiscalização do Ibama

Leia mais »

Peru: Vida Indígena na Amazônia Está Ameaçada pelo petróleo

Um documentário de uma hora de duração mostra a vida tradicional de povos indígenas da Amazônia, e como seu estilo de vida baseado na subsistência está ameaçado pela exploração do petróleo e pela monocultura de fontes de energia renováveis, como o óleo de palma.

Leia mais »

Brasil e Colômbia assinam acordo para combater criminalidade na fronteira

Brasil e Colômbia assinam, no dia 5 de agosto, um acordo de operações conjuntas contra a criminalidade na fronteira. A informação foi divulgada hoje (22) pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim.

A assinatura do acordo faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado pelo governo federal no início de junho, que tem por objetivo unir as polícias e as Forças Armadas no combate ao crime transnacional.

Leia mais »

Ibama flagra desmate com “correntão” em São Félix do Xingu, no Pará

O Ibama interrompeu nesta quarta-feira (20/07) um desmatamento com uso de “correntão” numa fazenda de gado em São Félix do Xingu, no sudeste do Pará. Ao chegar de helicóptero ao local, os agentes já encontraram 233 hectares de florestas destruídos para a implantação ilegal de pastagens. Além de apreender dois tratores e 800 metros de correntes, o instituto multou o pecuarista envolvido no crime ambiental em R$ 1,1 milhão.

Leia mais »

Operação do Ibama apreende tratores e motosserra em Novo Mundo/MT

Em ação fiscalizatória da Gerência Executiva do Ibama em Sinop, agentes ambientais federais apreenderam dois tratores (sendo um de esteira) e motosserra de infratores que agiam em Novo Mundo, entre Guarantã do Norte e Alta Floresta, região norte do Mato Grosso.

Leia mais »

Prefeitura doa terreno a índios, no interior do Amazonas

Terreno doado pela prefeitura de Rio Preto da Eva terá capacidade para receber 250 famílias

No município de Rio Preto da Eva – a 80 quilômetros de Manaus -, uma área de 43 hectares doada pela iniciativa privada aos índios de sete etnias e que, recentemente,entrou no regime de demarcação da Fundação Nacional do Índio (Funai), foi invadida por famílias de sem-teto.

Para resolver a questão, o prefeito Fullvio Pinto (PPS) informou nesta quarta-feira (20), que decidiu doar uma área do município, equivalente a sete hectares, para a construção de um loteamento, com capacidade para receber 250 famílias, em lotes de 8×20.

Leia mais »

Estudo mostra que pecuária ilegal ainda é mais lucrativa

A pecuária na Amazônia vem sofrendo pressões para a regularização fundiária e socioambiental. Tal regularização implicaria em ajustes econômicos desconhecidos ao setor. Neste “O Estado da Amazônia” O instituto Imazon avaliou o impacto da regularização socioambiental no desempenho econômico da pecuária de engorda na região de Paragominas, no Pará.

Concluiu-se que apenas fazendas com ampla escala de produção e alta produtividade seriam rentáveis cumprindo as regras socioambientais. Porém, fazendas irregulares que permanecessem impunes seriam mais rentáveis. Portanto, para estimular a regularizaçãoe práticas sustentáveis serão necessárias ações do setor público (por exemplo, maior eficácia na fiscalização e aumento dos investimentos em infraestrutura e serviços) e privado (por exemplo, boicote contra infratores).

Confira a Publicação: A viabilidade da regularização socioambiental da pecuária no Pará

Fonte: Imazon

Petroleira russa assina acordo com empresa brasileira para explorar petróleo na Amazônia

A exploração de 21 blocos de petróleo na bacia do rio Solimões, no Amazonas, terá a partir de agora a participação da petroleira russa TNK-BP. O comunicado foi postado nesta segunda-feira (18) pela empresa brasileira HRT O&G, em seu site.

Produção de Petróleo na base de Urucu no Amazonas

A empresa russa adquiriu 45% dos direitos exploratórios dos blocos.

Leia mais »

Ipaam multa sítio em Iranduba por reincidência em armazenamento ilegal de madeira

O sítio Filhos Homens, localizado no Km 52 da AM 352,no município de Iranduba (a 27 Km de Manaus), foi multado por reincidência no armazenamento ilegal de madeira explorada e beneficiada clandestinamente.

Sítio Filhos Homens onde ocorria o armazenamento e onde estava sendo carregado o caminhão baú

Leia mais »

Capacitação ajudará indígenas do Amazonas a trabalhar com piscicultura e avicultura

Um grupo de 32 indígenas do povo cocama que vivem no município de Alvarães (a 538 quilômetros de Manaus) vão estar aptos a trabalhar com piscicultura e avicultura.

Indígenas de Alvarães participaram de oficinas promovidas pela Seind

Leia mais »

Código Florestal pode encarecer indenizações de desapropriações

A reforma no Código Florestal, em análise no Senado, deve ter um impacto econômico até agora insuspeito: no valor das desapropriações para reforma agrária e criação de unidades de conservação.

Ao mudar os parâmetros de área de preservação no interior de propriedades, a nova lei aumentará a área produtiva –passível de indenização pelo poder público para fins de desapropriação.

Leia mais »

Pará quer criar força especial para combater pirataria nos rios

Rio Xingu, no Pará; embarcações em águas do Estado têm sofrido ataques criminosos

Uma lancha com 11 homens armados se aproxima de um navio. A quadrilha atira para o alto, obrigando a embarcação a parar, e sobe a bordo. Agride com socos e pontapés parte dos 140 passageiros, rouba todos os seus pertences e foge.

O ataque, ocorrido no mês passado, não teve como cenário o oceano Índico ou o Golfo de Aden, áreas de atuação de piratas somalis, mas sim o norte do Pará. Suas vítimas, que perderam cerca de R$ 15 mil em dinheiro, além de joias e celulares, viajavam entre Soure, maior cidade na Ilha de Marajó, e Belém, a capital do Estado.

Leia mais »

Dá pra entender?

Por Moacir Rodrigues *

As autoridades brasileiras que tratam sobre o meio ambiente jogam ao ar imagens via satélite sobre desmatamentos criminosos em vários pontos do território e, vez por outra, fazem incursões, com utilização da Polícia Federal e do Exército, para multar madeireiras que atuam de maneira ilegal e, em outras, para destruir grandes plantações de maconha e laboratórios de drogas construídos clandestinamente, no meio do mato.

Um trabalho árduo, sem dúvida, e que exige esforço e muita coragem, considerando que as forças-tarefa deslocadas para o meio da selva vão encontrar resistência e, inclusive, de homens bem armados.

O que não se pode entender, no entanto, é que são mostrados mapas televisivos apontando as irregularidades, através de grandes áreas desmatadas ou de grandes plantações de maconha, provando que o crime continua ativo, muito embora o esforço dos pequenos contingentes ser deslocado, vez por outra, para as áreas de conflitos.

Leia mais »

Sedam flagra novo golpe de madeireiros

Alguns madeireiros de Rondônia estão utilizando um novo golpe para driblar a fiscalização dos órgãos de proteção ambiental. É a utilização das placas de identificação da cadeia de custódia dos planos de manejo. Desta forma é possível transportar árvores extraídas ilegalmente sem chamar muita atenção. A fraude foi descoberta no final de semana, quando dois carregamentos de madeira foram apreendidos em operação de combate ao desmatamento no município de Cujubim.

A fraude consistia em colocar as plaquetas da cadeia de custódia em árvores que foram retiradas ilegalmente de áreas de reserva legal de propriedades particulares ou de florestas públicas – através da cadeia de custódia é possível saber a localização exata e a essência florestal de cada árvore de um plano de manejo legalizado.

Leia mais »