Helicóptero é inutilizado por órgãos de segurança pública durante Operação Catrimani II

Neste final de semana, mais uma ação foi realizada a fim de cessar o garimpo ilegal e os ilícitos transfronteiriços na Terra Indígena Yanomami (TIY). Agentes da Força Nacional, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI), em conjunto com militares das Forças Armadas, inutilizaram uma aeronave usada em atividades ilícitas na região. A ação ocorreu em coordenação com a Casa de Governo de Roraima.

Demonstrando extrema interoperabilidade, a ação interagências contou com um helicóptero da PRF e um helicóptero Pantera (HM-1) do Exército Brasileiro (EB) para transportar os agentes de segurança e da FUNAI ao local em que a aeronave havia pousado após sofrer uma pane. Dessa forma, após a confirmação de que o meio era utilizado para fins ilegais, e de que o piloto havia abandonado-a, os agentes realizaram a destruição do helicóptero no próprio local, na região de Mucajaí.

“Essas operações realizadas entre as agências são muito importantes para o sucesso da operação Catrimani II. Elas demonstram o elevado nível de vigilância e de prontidão dos envolvidos no combate ao garimpo ilegal.” Comentou o piloto do EB.

COMANDO CONJUNTO CATRIMANI II

A Operação Catrimani II é uma ação conjunta entre órgãos de Segurança Pública, Agências e Forças Armadas, em coordenação com a Casa de Governo de Roraima, no emprego, temporário e episódico, de meios na Terra Indígena Yanomami, em cumprimento à Portaria GM-MD N° 1511, de 26 de março de 2024, que visa agir de modo preventivo e repressivo contra o garimpo ilegal, os ilícitos transfronteiriços e os crimes ambientais.

Comando Operacional Conjunto Catrimani
Comunicação Social

Relacionada: Helicóptero é inutilizado por órgãos de segurança pública durante Operação CATRIMANI II (eb.mil.br)