Mulheres indígenas da Amazônia e do Cerrado podem concorrer a editais de até R$ 25 mil

PARINTINS (AM) – A Coordenadoria Ecumênica de Serviços (Cese) lançou um edital para apoiar projetos que visam fortalecer a participação das organizações de mulheres indígenas da Amazônia e do Cerrado. A iniciativa busca promover a participação política em espaços de articulação dos povos indígenas e da sociedade civil em geral, promovendo igualdade de gênero e protegendo os direitos dos povos ancestrais dentro e fora de suas comunidades.

Artesanato (Fernando Frazão/Agência Brasil) – Postada em: Revista Cenarium.

Promovida pela Cese, com apoio da União Europeia, aprovará pelo menos 20 projetos com financiamento de até R$ 25 mil. Organizações de mulheres indígenas e organizações mistas de mulheres indígenas dos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais podem se inscrever.

Confira as três linhas de perfis para os projetos:

Linha 1: Formação e Articulação de Mulheres Indígenas

      • Fortalecimento de espaços de auto-organização das mulheres indígenas e potencializar a participação delas em espaços mistos;
      • Fomentar a participação política das mulheres indígenas para a defesa e promoção de seus direitos;
      • Contribuir com uma maior visibilidade da atuação das mulheres indígenas nos espaços que elas circulam;
      • Fortalecer a produção e difusão de conhecimentos tradicionais nas bases e territórios;
      • Fortalecimento da Rede: Participação em redes regionais e nacionais de mulheres indígenas para ampliar o apoio e a colaboração;
      • Contribuir com os processos de formação voltados para defesa e promoção de direitos das mulheres indígenas, sustentabilidade econômica, geração de renda, ações sobre o tema da superação da violência contra as mulheres indígenas, direitos territoriais, mudanças climáticas, fortalecimento das estratégias de comunicação.

Linha 2: Incidência Política

      • Fortalecimento da participação política das mulheres indígenas em diferentes níveis de tomada de decisão nas suas organizações, movimentos e redes e em outros espaços públicos;
      • Enfrentamento à violência doméstica e institucional;
      • Defesa e promoção dos direitos das mulheres indígenas;
      • Fortalecimento do protagonismo no debate público;
      • Enfrentamento ao racismo;
      • Participação e contribuição das mulheres nos debates sobre mudanças e justiça climáticas.

Linha 3: Fortalecimento das Capacidades de Gestão das Organizações de Mulheres Indígenas e Organizações Mistas

      • Capacitação das mulheres indígenas na construção e elaboração de projetos;
      • Inclusão e percepção das questões de gênero e raça na gestão das organizações;
      • Treinamentos em Gestão: Oficinas e cursos que abordam temas como planejamento estratégico, gestão financeira, liderança e incidência política;
      • Troca de Experiências: Compartilhar experiências e melhores práticas entre organizações semelhantes para aprender umas/uns com os/as outras/os.

A Cese oferecerá uma oficina virtual para esclarecer dúvidas sobre o edital para as organizações interessadas em apresentar projetos. As propostas devem ser enviadas entre 28 de maio a 30 de junho deste ano, para o e-mail  editais@cese.org.br. Mais informações podem ser encontradas no site.

Por: Emilli Marolix – Da Revista Cenarium – Editado por Aldizangela Brito – Mulheres indígenas da Amazônia e do Cerrado podem concorrer a editais de até R$ 25 mil (revistacenarium.com.br)

Relacionadas: