Exploração de minerais estratégicos, no Brasil e na Amazônia, é debatido em Conferência Internacional

Entre 30 de agosto e 1º de setembro, foi realizada a Conferência Internacional Amazônia e Novas Economias, em Belém. O evento contou com a participação do diretor de Geologia e Recursos Minerais (DGM) do Serviço Geológico do Brasil (SGB), Valdir Silveira, no painel “Transição Climática: o Brasil e os Minerais Estratégicos”, quando foi debatida a exploração de minerais estratégicos no Brasil e na Amazônia, vinculada à transição global para uma economia de baixo carbono.

Foto postada em: SGB

Além disso, foram analisados os impactos desse processo na região, a fim de identificar pontos de cooperação entre o setor mineral e outros setores da economia. Também foi discutido o equilíbrio nas relações comerciais brasileiras, entre a venda de commodities minerais e a reindustrialização, relacionado à transição energética.De acordo com Valdir Silveira, “na participação no painel, destacamos o potencial do Brasil para ser fornecedor de metais e minerais estratégicos; reforçamos os desafios e oportunidades em fazê-lo; e ressaltamos o papel do governo, do setor privado e da sociedade civil na construção dessas cadeias de abastecimento, de forma responsável e sustentável, com especial referência à Amazônia”.

O diretor acrescentou que foi pontuada a janela de oportunidade para o Brasil, e particularmente a Amazônia, que precisa ser compreendida por todas as partes, em especial pelas empresas de mineração, que operam ou podem tentar operar na Amazônia ou em áreas similares.

A Conferência visa avançar e fortalecer as soluções que conciliem o desenvolvimento econômico, a redução das desigualdades e a conservação das florestas e da sociobiodiversidade. Também tem, como propósitos:

      • Apoiar um debate qualificado sobre as novas economias na Amazônia, de forma ampla e irrestrita.
      • Apresentar e debater as possíveis contribuições das indústrias, no campo das novas economias.
      • Criar uma rede de articulação e apoio às novas economias na Amazônia, com um novo espaço de interação entre setores e participação de lideranças locais.
      • Contribuir com a elaboração de uma agenda de curto, médio e longo prazos, com vistas a promover a integração de ações entre setor público e privado, sociedade civil e comunidades.
      • Fortalecer a aliança Pan-Amazônica no tema.

Durante os três dias, o encontro reuniu, na capital paraense, autoridades nacionais e internacionais, representantes dos povos da floresta, da sociedade civil, academia, setores públicos e privados, que trataram de questões que envolvem meio ambiente, economia e desenvolvimento sustentável.

Conferência Internacional Amazônia e Novas Economias

Encontro promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) – organização sem fins lucrativos, que reúne mais de 130 empresas e instituições que atuam no setor mineral e assumiram o compromisso de proteger a Amazônia – que, junto com seus associados, estão comprometidos com inovações no setor e com a difusão das melhores práticas empresariais e ambientais.

Núcleo de Comunicação
Serviço Geológico do Brasil
Ministério de Minas e Energia – Exploração de minerais estratégicos, no Brasil e na Amazônia, é debatido em Conferência Internacional (sgb.gov.br)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *