Chapéu Bandeirante Azul

Mais uma vez tenho a honra de repercutir um belo artigo de meu caro Amigo e Mestre Higino Veiga Macedo, editado em 26 de outubro de 2022.

Chapéu Bandeirante Azul

Chapéu Bandeirante Azul

Bela homenagem 

O chapéu bandeirante, muito antes de ser uma peça de uniforme, é um símbolo. No ensaio sobre a origem do Chapéu Bandeirante, tem a seguinte afirmação:

Na Engenharia tem-se o ícone Chapéu dos Ban­deirantes ou, apenas, Chapéu Bandeirante. Inspi­rado nos chapéus dos Bandeirantes dos séculos XVI e XVII. É real, inerte, interativo e, o que tem de melhor, além de palpável, é portátil, sempre. Há completa relação homem-material. Portanto, a adoção do CHAPÉU, em particular do Chapéu Ban­deirante, se reveste de fundamento simbólico. Simbolicamente, traz a filosofia estoica, do grego Zenão de Cítio [333 a.C. – 263 a.C.], onde o dever, a ética, a resignação faz parte do destino e tem prevalência sobre a própria vida. 

Nas unidades ditas de construção se transfor­mou em lenda, ícone, exemplo…

No início da década de setenta, até meados da década de oitenta era praxe, no 5° BEC, distri­buir para a esposa de oficial, por ocasião da des­pedida do esposo, em formatura, ou da família, em jantar solene, a oferta do CHAPÉU BAN­DEIRANTE AZUL, no mesmo formato do chapéu militar, confeccionado em feltro, cor azul, talvez azul ferrete. Na aba levantada, junto ao botão de pressão era afixado um broche com o logo­tipo do 5°BEC. Eram “grifes” famosas, da época: Ramenzoni, Prada, Cury…

Na verdade, era uma “CONDECORAÇÃO À ESPOSA”.

Minha esposa, Lenita Taumaturgo Macedo, por termos estado juntos no 5° BEC, foi “conde­corada” por três vezes: 24 ago 76; 15 fev 80; 11 fev 87. Orgulhosamente, ela os distribui para as filhas que nos acompanharam pela vida de estradeiros, para ornarem suas moradas.

Neste mês de outubro de 2022, um dos chapéus retorna para casa. Volta ao 5° BEC para fazer parte do Espaço Cultural do Batalhão. A filha Karina Taumaturgo Macedo de Sousa, seu espo­so, o Tenente Coronel Eng Manoel de Sousa Junior e seu filho Felipe Taumaturgo Macedo de Sousa, em reunião de família, acharam por bem doar o Chapéu ao 5° BEC, chapéu recebido por sua mãe. A peça faz parte da história da unida­de, história esta construída também pela família. O Comandante do 5° BEC aceitou a doação e concordou com a homenagem às esposas.

O chapéu simbolizará a passagem de tantas es­posas de militares que participaram das epo­peias do Batalhão, de sua história, de sua gran­deza para o Brasil. Nos períodos vividos, era 5° BEC de Barracão Queimado-MT, a Feijó-AC pela BR-364; de Humaitá a Lábrea, AM, margem esquerda do Rio Purus pela BR-230. Uma família com mais de mil almas entre militares e civis.

Para encerrar, parafrasear Fernando Pessoa, parece justo, quando se trata das ESPOSAS:

Oh, 5° BEC, quanto da tua grandeza são lágri­mas; por ti, para te fortalecer, quantas mães choraram; quantos filhos rezaram! Quantas esposas ficaram sós, em casa, para que fosses nosso, oh, 5º BEC!!! Valeu a pena? Tudo vale a pena, se a alma não é pequena.

João Pessoa, 26 de outubro de 2022.
Higino Veiga Macedo
Cel Veterano Eng Tu AMAN/71

Por Hiram Reis e Silva (*), Bagé, 08.11.2022 – um Canoeiro eternamente em busca da Terceira Margem.    

(*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;  

  • Campeão do II Circuito de Canoagem do Mato Grosso do Sul (1989)
  • Ex-Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);
  • Ex-Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);
  • Ex-Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM – RS);
  • Ex-Membro do 4° Grupamento de Engenharia do Comando Militar do Sul (CMS)
  • Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);
  • Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);
  • Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS – RS);
  • Membro da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER – RO)
  • Membro da Academia Vilhenense de Letras (AVL – RO);
  • Comendador da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Sul (AMLERS)
  • Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).
  • Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).
  • E-mail: hiramrsilva@gmail.com

NOTA – A equipe do EcoAmazônia esclarece que o conteúdo e as opiniões expressas nas postagens são de responsabilidade do (s) autor (es) e não refletem, necessariamente, a opinião deste ‘site”, são postados em respeito a pluralidade de ideias. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: