No AM, comunidades da etnia Ticuna recebem apoio da Funai para melhorias de infraestrutura

A Fundação Nacional do Índio (Funai) destinou R$ 33,6 mil para reformar a sede de duas associações indígenas da etnia Ticuna, no município de Tabatinga, estado do Amazonas.

Foto: Divulgação/Funai

Parte dos recursos foi utilizada na reforma da Associação das Mulheres Indígenas (MAPANA) na comunidade de Belém do Solimões, Terra Indígena Évare I. Do total dos recursos, cerca de R$ 13,5 mil foram destinados à aquisição de palha de palmeira caranã para a reforma do telhado da Casa de Moça Nova na comunidade de Umariaçu I, Terra Indígena de mesmo nome. A ação beneficiou 683 famílias indígenas de ambas as comunidades.

Foto: Divulgação/Funai

De acordo com a Coordenação de Infraestrutura Comunitária (COIC) da Funai, o conserto do telhado na Casa de Moça Nova ocorreu entre os meses de dezembro de 2021 e abril de 2022. Já a reforma da sede da MAPANA continua em andamento. As obras foram realizadas com recursos liberados pela Coordenação-Geral de Promoção dos Direitos Sociais (CGPDS) da Funai.

A coordenadora de Infraestrutura Comunitária da Funai, Isabela Carolina Cutrim de Abreu, comenta o apoio da fundação às obras de melhoria nas associações indígenas. “A Casa de Moça Nova abriga um ritual de passagem da juventude da mulher para a vida adulta, sendo uma tradição importante para a etnia. O cacique havia solicitado o suporte à reconstrução da sede, informando que a Casa fazia muita falta para os habitantes. Portando, a COIC apoiou a comunidade na compra da palha caranã produzida por uma aldeia próxima, o que beneficiou mais de 2,5 mil indígenas da etnia Ticuna”, afirma Isabela.

Para Itamar Araújo, morador da Terra Indígena Umariaçu, a reforma da Casa de Moça Nova resgatou o sentimento de coletividade dos indígenas. “A comunidade do Umariaçu agora conta com uma Casa maior e mais estruturada, onde já realizamos diversos eventos. O fato de termos nos reunido para construir a Casa no regime de ‘ajuri’ (mutirão) fortaleceu o espírito coletivo da comunidade, que se animou, e agora está construindo uma sede própria”, finaliza o indígena.

Agricultura familiar

Uma das organizações de mulheres indígenas da microrregião do Alto Solimões, extremo oeste do Amazonas, a MAPANA atua na geração de renda, no protagonismo das mulheres e dos jovens indígenas, e em ações que fortaleçam a agricultura familiar e sustentável das aldeias. Por meio da associação, as famílias indígenas fornecem alimentos para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimento (PAA), melhorando a qualidade da merenda escolar da região e gerando renda para suas comunidades e aldeias.

Assessoria de Comunicação / Funai – No AM, comunidades da etnia Ticuna recebem apoio da Funai para melhorias de infraestrutura — pt-br (www.gov.br)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: