51ª Tertúlia Portugal – Brasil

Será realizada no próximo dia 19 de novembro de 2022, sábado, a 51ª Tertúlia Portugal – Brasil, sob o tema: “Coração tranquilo aos pés de seu príncipe: validos, privados e cortesãos luso-brasileiros (1807-1822)”, tendo como convidado “Daniel Estudante Protásio”. 

O grupo de trabalho transnacional, capitaneado pelo Prof. Dr. Cesar Bargo Perez e pelo Cel. Elcio Secomandi, por parte do Brasil, e pelo Major General Rui Moura, por parte de Portugal, CONVIDA para a 51ª Tertúlia Portugal – Brasil:

51ª TERTÚLIA PORTUGAL – BRASIL
SÁBADO, dia 19 de novembro de 2022,
21h00 – 22h40 (horário de Lisboa) / 18h00 – 19h40 (horário de Brasília),

TEMA: “Coração tranquilo aos pés de seu príncipe: validos, privados e cortesãos luso-brasileiros (1807-1822)”

Apresentação: “Daniel Estudante Protásio”

Plataforma Zoom: https://us02web.zoom.us/j/6164543465

Canal das Tertúlias no YouTube: https://www.youtube.com/TertuliasPortugalBrasil

Canal de Podcasts: https://anchor.fm/tertuliasportugalbrasil

Sobre o convidado: 

Daniel Estudante Protásio (Lisboa, 1972) é Técnico Superior do Arquivo Histórico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa desde 2021. Investigador Doutorado Integrado do Centro de História da Universidade de Lisboa e Investigador Colaborador do CEIS 20 da Universidade de Coimbra, ambos desde 2015. Concluiu pós-doutoramento em História pela Universidade de Coimbra em 2018. Defendeu a tese de doutoramento em História Institucional e Política Contemporânea, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em 2009, obtendo a classificação máxima é, desde 1999, Mestre em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e, desde 1994, Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi bolseiro de investigação da Fundação para a Ciência e Tecnologia de doutoramento (2001-2005) e de pós-doutoramento (2014-2017). Tem os seguintes livros publicados: José Liberato e a independência do Brasil: os textos do Campeão Português em Lisboa (1822-1823) [Estudo introdutório], Lema d’Origem, 2022; Coração português, fidelidade realista: o ultra João António Rebocho (1795-1854), Chiado Books, 2021; 1.º Visconde de Santarém (1757-1818): um estudo biográfico, Chiado Books, 2020; Historiografia, Cultura e Política na Época do Visconde de Santarém (1791-1856) [Org.], Centro de História da Universidade de Lisboa, 2019; 2.º Visconde de Santarém (1791-1856): uma biografia intelectual e política, Chiado Books, 2018; Pensamento histórico e acção política do 2.º Visconde de Santarém (1809-1855), Edição de autor, 2016.

Resumo da Comunicação: 

Na sala dos déspotas, tapizada com os crânios e ossos das vítimas de seu prazer, o escravo, que vai de rastos levar o incenso da adulação, treme sobre sua vida e sente esfriar-se o sangue nas veias. Pelo contrário, quando um Português, um vassalo fiel, chega perante o seu soberano, tem sempre o coração tranquilo, apesar do respeito que lhe tributa (Frei Francisco de Santa Teresa de Jesus Sampaio, Oração fúnebre do ilustríssimo senhor José Joaquim de Sousa Lobato, Rio de Janeiro, 1810, p. 11). A história contemporânea luso-brasileira do período de 1807 a 1822 ainda conhece um vazio lacunar crucial, a do entendimento de quem foram os funcionários régios que, da Alta Domesticidade, passaram para a Alta Política de ambos os Estados, marcando de modo decisivo um período de passagem do Antigo Regime dito absolutista para o do constitucionalismo cartista. As figuras representadas no quadro de Domingos António de Sequeira, A Família do 1.º Visconde de Santarém (de 1816) e que passaram à história como 1.º visconde de Santarém (1757-1818), 1.º barão e 1.º visconde de Vila Nova da Rainha (1763-1830) e 2.º visconde de Santarém (1791-1856) são indispensáveis para entender a história institucional e política dos anos de 1807 até 1834, mas também ideológica cultural e patrimonial. O mesmo sucede com Francisco Bento Maria Targini (1756-1827), barão e visconde de São Lourenço; Joaquim José de Azevedo (1761-1835), barão e visconde de Rio Seco e marquês de Jundiaí; José Egídio Álvares de Almeida (1767-1832), barão, visconde e marquês de Santo Amaro; e João Severiano Maciel da Costa (1769-1833), visconde e marquês de Queluz, entre outros.

AS TERTÚLIAS JÁ REALIZADAS ESTÃO DISPONÍVEIS NO CANAL DO YOUTUBE:    TERTÚLIAS PORTUGAL BRASIL   

Comissão Organizadora do Projeto Tertúlia Portugal-Brasil:
Major General Rui Moura, Reserva do Exército de Portugal;
– Prof. Dr. Cesar Bargo Perez, Pesquisador da Universidade Católica de Santos; e
– Cel Rfm/EB Elcio R. Secomandi, Pesquisador e Professor Emérito da Universidade Católica de Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: