SESAI completa 12 anos

A Secretaria Especial de Saúde Indígena celebra o aniversário em meio a esforços para a realização da 6ª Conferência Nacional de Saúde Indígena

Criada em 19 de outubro de 2010, a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI/MS) chega aos 12 anos levando saúde aos povos originários do Brasil. A secretaria foi organizada para assumir as responsabilidades de atenção básica e saneamento da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Desde então, os mais de 22 mil profissionais da SESAI estão presentes nos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas e atendem mais de 765 mil indígenas no País.

“Nossa meta é fortalecer a SESAI e os DSEI. Isso se reflete na construção de estruturas físicas e humanas. A estrutura permanece e, com o tempo, é melhorada”, diz Reginaldo Ramos Machado, secretário da SESAI. “A longevidade da SESAI é consequência desse pensamento focado não em interesses individuais, mas na saúde indígena, no bem-estar dos povos, na prevenção e no trabalho da ponta da linha, com a participação do Controle Social”.

Ao longo de sua história, a SESAI apostou em sua vocação, no monitoramento contínuo dos indicadores de saúde e meio ambiente e na evolução constante da tecnologia médica para levar uma saúde de qualidade aos povos indígenas. Para que isso acontecesse, eram necessárias a construção e a manutenção de uma rede de apoio, infraestrutura e logística capazes de superar os obstáculos geográficos, tecnológicos e culturais que compõe a realidade da vida especialmente em aldeias e comunidades muito distantes dos grandes centros urbanos.

Essa estrutura é composta por 69 Casas de Saúde Indígena, que acolhem o indígena enquanto ele recebe tratamento longe da aldeia; 367 polos base, que prestam atendimento em áreas remotas e 1.212 Unidades Básicas de Saúde Indígena. Entre os 22 mil trabalhadores, 52% são indígenas, um reflexo claro da participação cada vez mais ativa e intensa da comunidade nas ações de saúde. O aumento da participação destes profissionais e as ferramentas de atualização constantes do Subsistema de Saúde Indígena do SUS (SasiSUS) permitem que o Ministério da Saúde atenda as demandas atuais e se prepare para dificuldades futuras de acordo com a realidade e respeitando as especificidades culturais de cada povo.

Por conta disso, a SESAI foi capaz de criar e implementar o plano de contingência para a pandemia da covid-19. Este plano envolveu a decisão de vacinar imediatamente a população indígena com os primeiros lotes disponíveis. O resultado foram mais de 67 mil indígenas recuperados.

Futuro

Em 10 de novembro, a SESAI vai lançar o Programa Nacional de Acesso à Água Potável para Territórios Indígenas (PNATI), uma iniciativa fundamental para a qualidade de vida e saúde das populações indígenas. O programa envolverá ampliação e reforma da infraestrutura de água e saneamento de acordo com critérios objetivos como demanda e densidade populacional.

Entre 14 e 18 de novembro, ao lado do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e do Fórum dos Presidentes de Distritos Sanitários Especiais Indígenas (FPCONDISI) a SESAI executa a 6ª Conferência Nacional de Saúde Indígena, em Brasília. O evento deve reunir mais de 2.000 pessoas, entre lideranças, delegados indígenas e convidados. Durante o evento, serão votadas mais de 250 propostas de aprimoramento da Política Nacional de Saúde dos Povos Indígenas, a PNASPI.

PUBLICADO POR: SESAI      

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: