Censo 2022 vai alcançar comunidades indígenas do país; saiba como será a pesquisa nas aldeias

Com início em agosto, o Censo Demográfico 2022 é a maior e mais abrangente operação de recenseamento já realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O objetivo é quantificar a população atual e conhecer as condições em que vivem os cidadãos brasileiros. A pesquisa também vai atualizar as informações sobre a realidade das comunidades indígenas, suas diferentes formas de organização social, costumes, línguas e aspectos culturais.

Foto: Divulgação/IBGE – postada em: FUNAI

Como as comunidades indígenas podem apoiar o Censo 2022? 

As lideranças conversam com suas comunidades sobre a visita dos recenseadores do IBGE, e explicam que é uma pesquisa sobre como vivem as famílias indígenas da aldeia. Para apoiar a realização do Censo Demográfico 2022, as comunidades indígenas podem contribuir com ações simples como:

• receber bem os recenseadores;
• responder às perguntas; e
• divulgar para amigos e familiares.

Como será o Censo 2022 nas comunidades indígenas?

A primeira atividade dos recenseadores do IBGE é a reunião de abordagem com as lideranças indígenas nas aldeias e comunidades indígenas. Nesse encontro, os recenseadores apresentam e explicam o que é o Censo Demográfico, além de solicitar o apoio das lideranças e membros das comunidades para a realização da pesquisa.

Na segunda atividade ocorre a aplicação do Questionário de Abordagem em Agrupamento Indígena. Esse questionário faz perguntas sobre aspectos como infraestrutura da aldeia, acesso aos recursos naturais, educação, saúde, entre outros. Em seguida, os recenseadores do IBGE visitam todas as habitações a fim de realizar as entrevistas com as famílias.

População indígena

De acordo com o último Censo realizado em 2010, viviam no Brasil 896,9 mil indígenas, de 305 etnias e 274 línguas diferentes. Aquela pesquisa demonstrou que 57,7% da população indígena estava distribuída em 505 Terras Indígenas, das quais seis tinham mais de 10 mil habitantes. A terra com maior população era a Yanomami, localizada nos estados do Amazonas e de Roraima, com 25,7 mil pessoas.

O recenseamento feito há 12 anos comprovou mais uma vez a grande diversidade dessas etnias indígenas, que apresentam diferentes modos de vida e enorme riqueza cultural. Retratar a situação atual dessas etnias, quantas são, onde habitam e como vivem atualmente será um dos grandes desafios do Censo 2022. Para o sucesso dessa pesquisa, o IBGE contará com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai) e de toda a população indígena a fim de melhorar a coleta das informações.

Assessoria de Comunicação / FUNAIcom informações do IBGE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: