Povo de território indígena mais desmatado da Amazônia cria protocolo para negociar obras

Área em que vive povo Arara já foi impactada pela Transamazônica e por Belo Monte; nova preocupação é com 250 km de asfaltamento

Inaugurada há meio século, a rodovia Transamazônica (BR-230) rasgou ao meio o território do povo arara, até então sem contato oficial com os brancos.

A obra-símbolo da ditadura militar abriu caminho para invasões de colonos, novas doenças e embates violentos.

Cachoeira Seca, onde vive o povo Arara, é a terra indígena mais desmatada da Amazônia Legal. Sob o governo Jair Bolsonaro (PL), perdeu 7.249 hectares entre agosto de 2019 e julho de 2020.

Mais recentemente, a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, em plena operação desde 2019, não cumpriu as condicionantes ambientais com o povo arara de retirada (desintrusão) de não indígenas de seu território e de instalação de duas bases de vigilância em vias de acesso.

Veja o texto na íntegra: Folha de S. Paulo

PUBLICADO POR: JORNAL DA CIÊNCIA SBPC  

Ambiente | Folha (uol.com.br) 

Indígenas criam protocolo para negociar obras em seu território – 14/05/2022 – Ambiente – Fotografia – Folha de S.Paulo (uol.com.br) 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: