Após 29 anos, garimpeiro que assassinou Ianomâmis é preso em Roraima

Após 29 anos, um garimpeiro condenado pelo genocídio de indígenas Ianomâmis foi preso pela Polícia Federal em Roraima. Em nota, a PF informou que soube que o homem chegaria a Boa Vista pela rodoviária e solicitou apoio da Polícia Militar, que o prendeu num supermercado, nessa quinta-feira (05).

Segundo a PF, o condenado, que estava foragido, foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanece à disposição da justiça.

Em 1993, doze Ianomâmis foram mortos por garimpeiros que atuavam ilegalmente na região próxima à fronteira com a Venezuela. Entre os mortos estavam mulheres e crianças. O caso ficou conhecido como Massacre de Haximu.

No mesmo ano, o Ministério Público Federal denunciou vinte e quatro garimpeiros. No entanto, apenas cinco deles estavam plenamente identificados, entre eles Eliézio Monteiro Neri.

O crime foi a julgamento três anos depois, e a Justiça entendeu que o caso se tratava de tentativa de extermínio da etnia. Em 2006, após disputas judiciais, o Supremo Tribunal Federal confirmou, por unanimidade, a condenação, pela Justiça Federal de Boa Vista, de quatro garimpeiros denunciados por crime de genocídio.

Publicado em 06/05/2022 – 17:02 Por Gabriel Brum – Repórter da Rádio Nacional – Brasília – Edição: Bianca Paiva / Guilherme Strozi – RADIOAGÊNCIA NACIONAL 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: