Museu Goeldi comemora a Festa Anual da Árvore com programação presencial e virtual

Este ano, o evento homenageia o Guajará (Chrysophyllum venezuelanense). Um exemplar ancião dessa espécie é a árvore mais antiga do Parque Zoobotânico da instituição. A programação híbrida acontece durante os dias 29, 30 e 31 de março e inclui trilha, oficina de arte-educação e lives sobre a história e o experimento de clonagem do Guajará ancião e a importância para as pessoas da floresta em pé.

Foto postada em: Museu Goeldi

Agência Museu Goeldi – Março encerra com a celebração da importância das árvores para a vida na Terra. Durante três dias (29, 30 e 31 de março), o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) realiza a Festa Anual da Árvore 2022, incluindo tanto atividades presenciais no secular Parque Zoobotânico da instituição e quanto no ambiente virtual, com história, pesquisas e debates no canal do Museu Goeldi no YouTube. Este ano, a espécie celebrada é o Guajará (Chrysophyllum venezuelanense) e a planta homenageada é um exemplar com o mesmo tempo de existência do sesquicentenário Museu Goeldi.

O Guajará ancião é a mais antiga árvore da coleção viva do Parque Zoobotânico da instituição. Situado no centro do Parque, a planta foi um guardião majestoso e generoso, embelezou a área, deu frutos, flores, muita sombra e serviu de abrigo para uma grande diversidade de animais.

O papel ambiental soma-se a importância científica e histórica do Guajará ancião do Museu Goeldi, pois é considerada uma espécie-tipo, tendo sido estudada e descrita pelo naturalista Jacques Huber no final do século XIX. O exemplar de grande porte tinha cerca de 42 metros de altura. Recentemente, teve que ser rebaixado drasticamente para 2 metros de altura porque poderia tombar sobre edificações históricas e ameaçar a integridade das pessoas que circulam na área.

Festa da Árvore – O evento conscientiza para como as árvores sustentam a vida humana e tantos outros viventes nos mais diversos ambientes da Terra. A cada edição, o Museu Goeldi levanta questões gerais relacionadas ao bioma amazônico e foca em alguma espécie particular dentre as 500 árvores que compõem a flora do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi – que abriga cerca de duas mil plantas.

A Festa Anual da Árvore integra as comemorações pelo Dia da Árvore nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, segundo o Decreto Nº 55.795, de 24 de fevereiro de 1965. Mas, em função das diferenças climáticas, as regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste fazem esta celebração no dia 21 de setembro.

Guajará – O nome científico é Chrysophyllum venezuelanense, espécie da família das sapotáceas, que inclui mais de 50 gêneros e 1.100 espécies distribuídas nas regiões tropicais do planeta. Análises de DNA estão contribuindo para esclarecer a classificação de espécies e gêneros dessa família.

No Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, um exemplar do Guajará era a mais antiga árvore da coleção viva, sendo uma espécie que foi estudada e classificada pelo naturalista Jacques Huber, considerado o pioneiro da botânica amazônica e o criador do Parque Zoobotânico do MPEG junto com o naturalista suíço Emílio Goeldi, no final do século XIX.

Sobre a escolha do Guajará como espécie homenageada este ano, o coordenador do evento, o educador Alcemir Aires, destaca: “O Guajará foi escolhido considerando a história e a importância da espécie e do exemplar ancião”, cuja operação de rebaixamento foi realizado durante 20 dias do mês de fevereiro e é objeto de experimentações para clonagem com a parceria de especialistas da Universidade Federal Rural da Amazônia. Quer saber mais sobre o rebaixamento do Guajará Clique Aqui e Aqui. Para conhecer mais sobre a história desta árvore anciã Clique Aqui.

Programação híbrida – A Festa Anual da Árvore 2022 no Museu Goeldi contará com uma programação que se divide entre atividades presenciais e virtuais, durante os dias 29, 30 e 31 de março.

A programação presencial acontece pela manhã no decorrer dos três dias de evento, quando os visitantes agendados terão a oportunidade de conversar sobre estudos e manejo de plantas na Estação Botânica com pesquisadores e técnicos da instituição. Poderão também realizar Trilhas pelo Parque Zoobotânico e concluir a visita guiada participando de Oficinas relâmpago de Arte-Educação, que utiliza matéria-prima como galhos, frutos, flores e folhas do próprio Parque do Goeldi.

Serão ofertados dois horários para as Trilhas: o primeiro inicia às 9h30 e o segundo às 11h. Cada equipe de trilheiros terá a lotação máxima de até 6 pessoas. Ao longo da trilha, os monitores abordarão informações diversas sobre o Guajará e outras árvores amazônicas, destacando sua importância e ciclo de vida. O trabalho de estímulo para perceber a flora do Zoobotânico conclui com a Oficina “relâmpago”, que provoca a sensibilidade e expressão artística dos visitantes.

A instituição também promoverá o plantio de árvores e a distribuição de mudas e publicações.

Fernanda Queiroz, da Coordenação de Museologia do Goeldi, ressalta que a equipe organizadora do evento está bem animada com o retorno dos eventos presenciais no Parque Zoobotânico e espera que a programação seja bem aceita pelos visitantes. “Como ainda estamos na pandemia, vamos trabalhar com grupos pequenos (de preferência familiar) por dia”, explica Fernanda.

Já a programação virtual acontece com duas lives transmitidas pelo canal do Museu Goeldi no YouTube, sempre às 15h30.

O dia 30 de março terá a live “O Guajará Ancião do Museu Goeldi – História e clonagem”, com a participação do historiador Dr. Nelson Sanjad (MPEG), da engenheira agrônoma e bioquímica Dra. Joanne Souza (UFRA) e do engenheiro agrônomo, Dr. Walter Vellasco (UFRA). A mediação será do botânico Dr. Pedro Lage Viana (MPEG).

No dia 31 de março, acontece o debate “A floresta em Pé – o que ameaça a sua sobrevivência e porque florestas são importantes para a sociedade”, com a participação da ecóloga Dra. Ima Vieira (MPEG), do biólogo Dr. Leandro Ferreira (MPEG) e do antropólogo Dr. Glenn Shepard Jr. (MPEG). A mediação do debate será da jornalista Mª Joice Santos (MPEG).

Acompanhe a programação do evento nos canais do Museu Goeldi.

A comissão de organização da Festa Anual da Árvore de 2022 do Museu Goeldi conta com profissionais de diferentes áreas da instituição. A coordenação é de Alcemir Aires (Serviço de Educação), e conta também com Ana Cláudia Silva (Serviço de Educação), Bianca Vicente (Museologia), Doriene Monteiro (Museologia), Fernanda Queiroz (Museologia), Hilma Guedes (Serviço de Educação), Ivan Rodriguez (Serviço de Educação), Joice Santos (Serviço de Comunicação Social), Karol Gillet (Museologia), Maria Emilia Sales (Comunicação e Extensão), Neuza Freire (Museologia), Pablo Borges (Serviço de Arquivo), Pedro Viana (Botânica) e Rogério Hedayson (Setor Flora do Parque Zoobotânico).

Texto: Samara Barra e Joice Santos

PUBLICADO POR:    MUSEU GOELDI

PROGRAMAÇÃO DISPONÍVEL EM:  Museu Goeldi comemora a Festa Anual da Árvore com programação presencial e virtual — Português (Brasil) (www.gov.br)   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: