Seminário no Museu Goeldi debate Biodiversidade da Amazônia

A biodiversidade amazônica e sua evolução são o tema das pesquisas apresentadas durante o 3º Seminário Científico do PPGBE, que tem início hoje e prossegue até a próxima quarta-feira (24). Pesquisadores do Museu Goeldi e de outras instituições debatem ainda no canal do evento no YouTube o papel das pesquisas, a crise climática da Amazônia e aspectos do trabalho científico e sua divulgação.

Postada em: Museu Goeldi

Agência Museu Goeldi – Começa hoje e vai até o dia 24 de novembro o 3º Seminário Científico do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Evolução (PPGBE) do Museu Paraense Emílio Goeldi. O objetivo do Seminário é compartilhar com o público os trabalhos que estão sendo desenvolvidos pelos pesquisadores de mestrado e doutorado do Programa.

Além das apresentações científicas, o evento terá aulas públicas e palestras sobre temas como crise climática, saúde do pós-graduando, mercado de trabalho, divulgação científica e a atuação de mulheres na ciência.

O evento é totalmente gratuito e online. Estudantes, professores e pesquisadores de diferentes áreas podem realizar inscrição como ouvinte acessando o site do evento. Toda programação será transmitida no Youtube no canal do III Seminário do PPGBE e se encontra disponível aqui.

O Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Evolução é um dos sete programas oferecidos pelo Museu Goeldi e foi o primeiro criado e coordenado unicamente pela instituição. Ele tem a proposta de estudar e gerar informações científicas sobre a Biodiversidade da Amazônia. O foco das pesquisas é a origem e caracterização da diversidade biológica, bem como a análise dos processos naturais e humanos que estão atuando sobre a biodiversidade atualmente.

PPGBE – O botânico Mário Jardim, docente do PPGBE e um dos organizadores do 3º Seminário Científico, destaca que o PPGBE forma “recursos humanos para melhor compreender e conservar a Biodiversidade”, atuando com uma “produção científica de alta qualidade, descoberta de novas espécies de plantas e animais e inserção no contexto nacional e internacional”. Para ele, isso “fortalece o Museu Goeldi como uma instituição de excelência”.

Além de Mário Jardim, também fazem parte do comitê organizador do III Seminário, a coordenadora do PPGBE, Marlúcia Martins, os docentes Alberto AkamaMarcelo Sturaro e Pedro Viana . Mas Jardim destaca que este evento não seria possível sem o engajamento dos discentes na coordenação do evento.

A comissão discente do Seminário do PPGBE é formada pelo egresso Lywouty Nascimento, os mestrandos Fabián Garcia e Rosana Lobato e os doutorandos Marcos Drago,  Kauê Dias e Reginaldo Haroldo.

O mestrando Fabián Garcia explica que a programação foi pensada com colaboração de todos os discentes do PPGBE, incluindo debates sobre aspectos científicos, mas também profissionais e de saúde: “destaco pessoalmente a palestra enfocada nas mudanças climáticas e suas implicações sobre nossa Amazônia. A segunda, sobre a saúde mental, já que estamos passando por um dos momentos mais difíceis da vida, uma pandemia”.

Fabián veio da Colômbia para cursar o mestrado no PPGBE, com pesquisa sobre Aracnologia. “A Amazônia é um dos lugares mais diversos do planeta! Ter possibilidade de estudar Biodiversidade e Evolução com os seres vivos que habitam nesta região é uma experiência muito enriquecedora profissional e pessoalmente”, destaca.

Multidisciplinar – Já o doutorando Reginaldo Haroldo destaca o que considera a principal vantagem da existência de um PPG que estuda Biodiversidade e Evolução na Amazônia: o caráter multidisciplinar dos estudos desenvolvidos pelos profissionais formados por ele.

“Na Amazônia, um ambiente biologicamente diverso, estudos devem ser realizados observando a importância cultural da biodiversidade e dos impactos que esta vem sofrendo nos últimos anos” exemplifica. O pesquisador já desenvolveu projetos voltados a ecologia de mamíferos aquáticos junto a comunidades amazônicas, considerando tanto a importância da biodiversidade quanto as pressões que essas localidades sofrem.

Programação – A integração entre aspectos multidisciplinares está em toda a programação, mas acompanhe aqui algumas palestras que são os destaques. No dia 22, logo após a abertura do evento, a ecóloga Luísa Maria Diele Viegas Costa Silva, da Universidade Federal de Alagoas, profere a palestra “Perspectivas Amazônicas para a Crise Climática Global”. Já pela parte da tarde, o psicólogo Mauri Nazareno Lima Gaspar, da Insight Psicologia Clínica e Consultoria, profere a palestra “Saúde do Pós-Graduando no Cenário Pandêmico”. No dia 23, pela manhã, a bióloga Roberta Danny Oliveira Raiol, da Universidade da Amazônia conduz a palestra “Mulheres na Ciência”. Já na tarde do dia 23, a bióloga Paula Carolina Rodrigues de Almeida conduz a palestra “Inserção no Mercado de Trabalho após a Pós-Graduação”. Na manhã do dia 24, último dia do evento, a tela é do ecólogo e divulgador científico Giovanni Sampaio Palheta.

Texto: Uriel Pinho – PUBLICADO POR:   MUSEU GOELDI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*