Em Rondônia, Funai realiza capacitação para situações excepcionais de contato com indígenas isolados

A Fundação Nacional do Índio (Funai) realizou, na Base de Proteção Etnoambiental Bananeiras, situada no interior da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia, uma capacitação para situações excepcionais de contato com indígenas isolados em Terras Indígenas como Massaco (RO), Tanaru (RO), Uru-Eu-Wau-Wau (RO) e Kawahiva do Rio Pardo (MT).

Foto: Divulgação/Funai

O treinamento ocorreu entre os dias 26 de setembro e 02 de outubro e foi organizada pela Frente de Proteção Etnoambiental Uru-Eu-Wau-Wau, com apoio técnico da Coordenação-Geral de Índios Isolados e de Recente Contato (CGIIRC). O curso contou com a participação de servidores da Funai, além de representantes da Polícia Militar do Estado de Rondônia (PM-RO), da Policia Federal (PF), do Ministério Público Federal (MPF), da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), da Prefeitura Municipal de Seringueiras, da Prefeitura Municipal de São Miguel do Guaporé e de instituições da sociedade civil.

Pela Funai, participaram servidores da CGIIRC, incluindo o coordenador de Políticas de Proteção e Localização de Povos Indígenas Isolado, Geovanio Pantoja Katukina, e servidores das Frentes de Proteção Etnoambiental Guaporé/RO, Madeirinha-Juruena/MT, Madeira-Purus/AM, Médio Xingu/PA e Uru-Eu-Wau-Wau/RO. A capacitação teve a presença ainda de indígenas das etnias Amondawa, Uru-Eu-Wau-Wau e Tupari, que há anos cooperam com ações executadas pela Frente de Proteção Etnoambiental Uru-Eu-Wau-Wau, contribuindo com o compartilhamento de informações no trabalho de monitoramento e localização de indígenas isolados.

Um dos objetivos da capacitação foi discutir coletivamente e expor situações previstas nos Planos de Contingência para Situações de Contato com Indígenas Isolados, documentos que têm como finalidade prevenir e mitigar efeitos negativos à saúde de populações isoladas que porventura decidam entrar em contato com a sociedade não-indígena, além de orientar respostas rápidas e definir os responsáveis quanto à execução de ações de proteção aos grupos em isolamento voluntário.

Além disso, foram discutidos e aprimorados os Planos de Contingência das Frente de Proteção Etnoambiental e estabelecidas diversas parcerias com as instituições, que na esfera dos Planos integram as ações de proteção dessas populações. O Coordenador da Frente de Proteção Etnoambiental Uru-Eu-Wau-Wau, Klayton Corradi, salientou a atuação da nova gestão da Funai, no âmbito da Presidência e Diretorias, em dar todo o aporte para realização dessa atividade de tamanha relevância para os trabalhos de proteção dos isolados.

“Desconheço na história da Funai esse tipo de planejamento e capacitação com os servidores das Frentes de Proteção, com foco na proteção dos isolados, isso é um marco. Construir um Plano de Contingência com a participação do MPF, da PF, da PM-RO, da Sesai, das Secretarias de Saúde dos municípios, dos indígenas que habitam a Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau e de outros parceiros é fundamental para que a Funai alcance o maior nível possível de eficiência nas suas políticas de proteção aos indígenas em isolamento voluntário, onde o resultado é exemplo de um processo que pode ser replicado e aplicado nas mais diversas realidades de indígenas isolados no Brasil.”

O delegado da Polícia Federal Jorge Florêncio de Oliveira também enfatizou a relevância da iniciativa da Funai. “Trata-se de um grande exemplo de atuação estratégica promovida pela Funai visando capacitar os servidores para episódios de contato com índios isolados em Terras Indígenas. O Plano de Contingência, apoiado na colaboração efetiva dos participantes da oficina de capacitação, demonstra-se eficiente, prático e executável”, frisou.

“A capacitação foi uma experiência única que gerou uma interação positiva das instituições envolvidas nas demandas com os índios isolados, com trocas de informações e conceitos, ampliando o conhecimento das entidades envolvidas nesta parceria por essa causa”, destacou o sargento Aleone, da PM-RO, que enviou policiais dos municípios de São Miguel do Guaporé e de Seringueiras para a capacitação.

Já o secretário de Saúde do município de Seringueiras (RO), Emerson Gomes dos Reis, destacou a importância da participação dos servidores da saúde municipal na capacitação promovida pela Funai. “Hoje, conhecendo a realidade dos indígenas isolados que estão na região do nosso município, entendemos o quanto devemos estar preparados para atendê-los, caso seja necessário”. A Prefeitura de Seringueiras apoiou a realização do curso contribuindo com a estrutura e logística do evento e fornecendo testes para covid-19 a todos os participantes da capacitação.

PUBLICADO POR:     FUNAI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*