Museu Goeldi oferece programação especial de 155 anos

A programação de comemorações pelos 155 anos do Museu Goeldi iniciará no dia 04 de outubro, e será totalmente virtual e gratuita na 36ª edição do Museu de Portas Abertas (MPA), evento que integra o Mês e a 18ª Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovações. O evento ofertará novos vídeos, exposições virtuais, palestras, oficinas, contação de histórias, lançamento de jogo, cartilha, podcast, plataforma do projeto interativo A Floresta Sensível e o Festival Sabores e Saberes.

Agência Museu Goeldi – Uma das mais antigas instituições científicas do Brasil, o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) celebra 155 anos no dia 06 de outubro e, em comemoração, ofertará produtos e atividades especiais ao público durante todo o mês. A programação virtual e gratuita iniciará nesta segunda-feira, 04, e pode ser acessada no portal MPEG e acompanhada pelo canal do Museu Goeldi no YouTube, com exceção de 3 atividades. O evento terá certificado aos participantes.

A agenda inclui atividades da 36ª edição do Museu de Portas Abertas (MPA), evento integrado ao Mês Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovações e a 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, organizadas pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), onde o Museu Goeldi está vinculado.

O Museu Goeldi foi o segundo museu de história natural criado no Brasil. Fundado em 1866 na cidade de Belém, onde mantém seu campus de pesquisa e o primeiro parque zoobotânico do país, o MPEG também conta com uma estação científica localizada na Floresta Nacional de Caxiuanã, no Marajó, que funciona como um laboratório avançado sobre o funcionamento das florestas tropicais. A instituição ainda mantém um campus avançado em Cuiabá, sede do Instituto Nacional de Pesquisas do Pantanal.

Portas Abertas – Proposto e organizado pela dinâmica educadora Helena Quadros, falecida este ano em decorrência da Covid-19, o Museu Goeldi de Portas Abertas (MPA) é realizado anualmente envolvendo todos os setores da instituição. O programa surgiu inicialmente para atender uma reivindicação de comunitários do bairro da Terra Firme.  A adesão e o tamanho do programa educativo, todavia, foi se expandido no decorrer dos anos, assim como sua integração a grandes eventos nacionais.

“O Museu Goeldi tem participado da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia desde sua 1ª edição. Mas a programação se expandiu para todo o mês de outubro e passou a incluir ações em todas as bases físicas do MPEG. Todo ano são organizadas muitas atividades, ações e visitas, principalmente no Parque Zoobotânico e no Campus de Pesquisa, isso antes da pandemia do novo coronavírus. Desde o ano passado a extensa programação se adequou ao ambiente da web. Esse ano enfrentamos o desafio de manter a construção delineada pela educadora Helena Quadros. E o fazemos também como homenagem as enormes contribuições deixadas por ela, a resiliência do MPEG e das pessoas em superar as adversidades do momento atual”, conta a coordenadora de Comunicação e Extensão, Maria Emília Sales.

O acesso às bases físicas do MPEG continua restrito, em respeito as medidas de controle sanitário adotadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), mas toda a programação desse ano continua a ser ofertada virtualmente aos interessados de qualquer parte do mundo, seja de dia ou a noite. Com exceção do dia 6/10 de outubro, quando o MPEG completa 155 anos e integra a grade de transmissão do MCTI, toda a programação aberta do MPA estará disponível no canal do Museu Goeldi no YouTube.

“Não paramos nossas atividades durante a pandemia. Tomando os cuidados sanitários necessários continuamos trabalhando muito em todas as nossas frentes de atuação, migrando tudo o que foi possível para o home office. O que foi realmente paralisado neste período foi a visitação pública em nossas bases físicas, o que inclui o Parque Zoobotânico e sabemos que essa ausência é bastante sentida pelo nosso público. Mas na web o Museu Goeldi está de Portas Abertas. Virtualmente, os pesquisadores, técnicos, bolsistas, alunos de pós-graduação e educadores apresentarão pesquisas, atividades educativas e de divulgação da ciência”, completa Maria Emília.

Agenda – A programação dos 155 anos iniciará na próxima segunda, 04, às 10h, com a palestra da ecóloga Ima Vieira, pesquisadora do Museu Goeldi. Ela falará sobre os “155 anos de pesquisa sobre a sociobiodiversidade na Amazônia”, com a mediação da jornalista Joice Santos, chefe do Serviço de Comunicação Social.

No dia 05 de outubro, às 10h, pela plataforma Zoom, será realizada a roda conversa “Memórias do MPA”.

No dia 06, quando o Museu Goeldi completa oficialmente 155 anos, a programação será dividida em dois momentos no canal do MCTI no YoutubeÀs 14h, será transmitida a palestra “155 anos do MPEG”, com a participação dos pesquisadores Ana Luisa Albernaz (ecóloga e diretora do MPEG) e Nelson Sanjad (historiador). Às 16h, o público está convidado a realizar uma visita virtual pelas coleções do MPEG.

No dia 12, às 10h, o programa do Dia das Crianças tem Contação de História com Aline Lira e o Grupo Nossa Biblioteca, e em seguida acontece os lançamentos dos:  Jogo digital da Memória, Histórias em Quadrinhos inspiradas pelo MPEG e seu Parque Zoobotânico e do podcast Pode Goeldi?

Ainda nessa semana, dia 13, tem as apresentações das Exposições virtuais: Caminhos Amazônicos e Ambientes Costeiros, e no dia 15, Dia do Professor, os educadores do Museu Goeldi apresentam algumas ferramentas para dinâmicas escolares ou estratégias de educação não-formal. É a vez dos Kits do Clube do Pesquisador Mirim e o Lançamento da Cartilha Um Passeio Animal.

Na semana seguinte, nos dias 21 e 22, temos o Ciclo de Palestras 155 anos com pesquisadores da Botânica, Zoologia, Ciências Humanas, Transferência de Tecnologia e um passeio virtual pela centenária Biblioteca Ferreira Penna.

No dia 21 o convite é para mergulhar no mundo das plantas, e entre os assuntos abordados: “Biodiversidade Invisível”, com a pesquisadora Monyck Lopes; “Composição química dos óleos essenciais de espécimes de Calycolpus goetheanus (Myrtaceae), com a bolsista Celeste Franco; “Composição química e atividades biológicas do óleo essencial de espécies da família Myrtaceae”, por Geovanna Siqueira, bolsista de iniciação científica; “Composição química e atividade fitotóxica de espécies de Annonaceae da região Amazônica“, pelo bolsista Angelo Moraes; “Bioprospecção de óleos essenciais”, com a pesquisadora Eloísa Andrade, que coordena o Laboratório Adolpho Ducke; e “Saber de plantas pra quê?”, com o doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia, Jonilson Ribeiro.

No dia seguinte, 22, os temas das palestras trafegarão entre zoologia e arqueologia: “Peixes das corredeiras dos rios amazônicos”, com o pesquisador Alberto Akama; “Insetos nas obras raras do Museu” com a pesquisadora Marlúcia Martins; “O paraíso perdido fica na Amazônia”, com o arqueólogo Marcos Magalhães; “Novos produtos e processos desenvolvidos pelo MPEG a partir dos ativos da biodiversidade amazônica”, com o coordenador de Planejamento e Acompanhamento,  Amilcar Mendes;

e “Escavando as coleções arqueológicas do Museu Goeldi”, com a arqueóloga Helena Lima, curadora do acervo. O dia encerra com um convite para conhecer a centenária Biblioteca Ferreira do Museu Goeldi, com o bibliotecário Rodrigo Paiva.

Entre os dias 25 a 27, será realizado o Festival cultural gastronômico Sabores e Saberes, evento integrado ao lançamento da plataforma do projeto interativo A Floresta Sensível, coordenado pelo antropólogo Glenn Shepard Jr. O festival terá uma programação mista de lives e webinars explorando o conhecimento originário, tradicional e científico sobre as memórias e vivências sensoriais da Amazônia, em seus cheiros, ervas, essências, frutos, sabores, específicos da região. Sabores e Saberes transforma e amplia para o ambiente virtual o popular festival de Gastronomia Inteligente, criado e realizado pela engenheira florestal Vera Bastos e a educadora Helena Quadros.

Com o patrocínio do Instituto Serrapilheira, a plataforma online “A Floresta Sensível” será lançada no dia 28 e oferecerá ao público um passeio virtual 360º e um jogo imersivo, além de muitas informações científicas sobre 12 espécies do parque. É um convite aos visitantes para conhecerem as dimensões intangíveis, visíveis e sensíveis da vivência na floresta amazônica, e aprenderem como diferentes povos indígenas da Amazônia usam cheiros, sabores, texturas e sons para interagir com diversos seres da floresta e do cosmos.

Encerrando a programação do mês de outubro, no dia 29às 10h, será realizada a “Oficina do ponto de memória sobre reaproveitamento de óleo de cozinha”.

Totalmente gratuitos, os eventos serão transmitidos e continuarão disponíveis no canal oficial do MPEG na plataforma YouTube.  

Serviço – A programação dos 155 anos do Museu Goeldi será transmitida de 04 a 29 de outubro pelo Youtube da instituição. Consulte a íntegra da programação pelo link:  

Quem desejar participar e ter certificado, ou mesmo auxiliar na avaliação do evento, clique nesse link: https://docs.google.com/forms/d/1jSrakNenpF00iId7mqQ8GjmzMdJhu3o6BOZN141ZwfY/viewform?edit_requested=true  

PUBLICADO POR:   MUSEU GOELDI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*