PF cumpre mandados de prisão contra agenciadores de viagem que terminou em naufrágio na Guiana Francesa

PF deflagra Operação Tritão para desarticular grupo criminoso envolvido em esquema de migração ilegal de brasileiros para o exterior.

Postada em: Polícia Federal DPF

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (10/9) a Operação Tritão*, em Oiapoque/AP, extremo norte do estado do Amapá, com o objetivo de desarticular organização criminosa que atuava na promoção de migração ilegal de brasileiros para o exterior.

Postada em: Polícia Federal DPF

Policiais federais, com o apoio da Polícia Militar do Amapá, cumpriram um mandado de prisão preventiva e três mandados de busca e apreensão, no Estado. Foi preso um homem que teria sido responsável por agenciar a viagem clandestina que terminou no naufrágio de uma embarcação no mar da Guiana Francesa, em 28 de agosto. Além dele, foi alvo de busca o proprietário do barco usado na travessia.

Postada em: Polícia Federal DPF

A investigação, que contou com a ajuda francesa, do Centro de Cooperação Policial (CCP) – Brasil/França, foram iniciadas após informações levadas à Polícia Federal por parentes de pessoas que estavam a bordo.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, por promoção de migração ilegal e atentado contra a segurança de transporte fluvial com naufrágio e por possíveis mortes. Inicialmente, as penas podem chegar a 17 anos de reclusão.

 Apenas em 2021, a Polícia Federal deflagrou no Amapá seis operações policiais que tinham como alvo indivíduos que promovem migração ilegal: Operação Quinino (com três fases) e Operação Catraia (com duas fases) em Oiapoque/AP. Já em Macapá, houve a Operação Cruce.

* A nota foi editada às 15h19 com a modificação do número de mandados de prisão efetuados. Um dos mandados de prisão preventiva ainda não foi cumprido pela PF. 

****Tritão é um deus marinho da mitologia grega que é conhecido como o Rei dos Mares.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá – PUBLICADO POR:  DPF – POLÍCIA FEDERAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*