SESAI Mais Saúde Indígena realiza mais de 12 mil atendimentos e procedimentos no Xingu

O cacique Yacalu Kuikuru era pequeno, mas se lembra muito bem de um surto de sarampo que teve nas aldeias do Xingu há 60 anos. Na época, não havia atendimento e muito menos vacina. E é, por isso, que a ação “SESAI Mais Saúde Indígena” é tão comemorada por ele e todos os xinguanos.

“A gente fica muito feliz com a presença de vocês. As doenças que estão aparecendo hoje não são mais iguais às de antigamente. Está mudando muita coisa e é, por isso, que os índios do Alto Xingu estão muito felizes com esse mutirão que está aqui com a gente”, exaltou.

A felicidade com a presença dos profissionais de saúde pode ser descrita em números. Entre os dias 12 e 26 de julho, a SESAI, em parceria com a Associação Doutores da Amazônia e Ministério da Defesa realizou mais de 12.400 atendimentos e procedimentos.

A ação levou atendimentos especializados com médicos pediatras, ginecologistas, oftalmologistas, obstetras, intensivistas e clínicos-gerais. Além desses profissionais, a população indígena pôde contar com atendimentos oftalmológicos e odontológicos.

Durante a ação, os xinguanos realizaram exames de refração e de fundo de olho e os pacientes receberam óculos confeccionados sob medida. Também foi possível realizar tratamento odontológico completo com restauração, tratamento de canal, implantes e confecção de próteses dentárias. Dois sistemas CADCAM estiveram à disposição para a confecção de próteses em até 15 minutos.

Para acompanhar de perto os atendimentos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o Secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva, estiveram na abertura da ação.

“Uma das prioridades do Ministério da Saúde é a saúde indígena, que é coordenada pela SESAI. Estive visitando diversas etnias que estão ali e acompanhei os atendimentos feitos na atenção primária, inclusive a vacinação contra a Covid-19”, comentou o ministro.

Além dos atendimentos, testes sorológicos, exames laboratoriais e clínicos, como ultrassonografia, radiografia, papanicolau, entre outros, foram feitos no local com laudo médico. A Associação Doutores da Amazônia, junto com o DSEI Xingu, montou, ainda, uma farmácia no local para fornecimento gratuito das medicações com receituário e acompanhamento de farmacêutico.

“É uma grande ação com resultados positivos graças a parcerias como essa. Mostra que há a necessidade de uma interiorização do atendimento e isso a gente vai buscar cada vez mais”, reforçou o secretário da SESAI Robson Santos da Silva.

Logística 

O Ministério da Defesa apoiou a ação com logística de transporte e alojamentos através da Força Aérea Brasileira e Exército Brasileiro. A Força Aérea transportou 1,5 tonelada de suprimentos odontológicos e medicamentos. Além disso, os indígenas foram transportados diariamente de suas aldeias até o Polo Base Leonardo para atendimento pelo Exército Brasileiro.

DSEI Xingu 

O DSEI Xingu leva serviços básicos de saúde a cerca de 8 mil indígenas, de 16 etnias, que vivem em 120 aldeias. O Distrito possui 287 profissionais de saúde, entre eles Agentes Indígenas de Saúde (AIS) e Agentes Indígenas de Saneamento (AISAN) que moram nas aldeias, e prestam atendimento em 4 Polos Bases, 10 Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI), 4 Casas de Apoio à Saúde Indígena (CASAI) e em visitas às comunidades.

O DSEI Xingu tem 3,9 mil indígenas com 18 anos ou mais, aptos a receberem o imunizante contra a Covid-19, e já vacinou 79% da população com a primeira dose e 65% com a segunda dose. Durante a ação de saúde, também será reforçada a campanha de vacinação contra o novo coronavírus e a atualização vacinal contra outras doenças imuno-preveníveis como influenza, sarampo e rubéola.

Patrícia Rodrigues – Nucom/SESAI

PUBLICADO POR:   SAÚDE INDÍGENA MINISTÉRIO DA SAÚDE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*