Ministério da Saúde destina R$ 5 mi para atendimento diferenciado de indígenas em hospitais do SUS

Recursos incentivam ações de atenção especializada em saúde para os povos indígenas.

Postada em: Saúde Indígena

Com atenção especial da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), o Ministério da Saúde destinou R$ 5 milhões para hospitais atenderem povos indígenas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Este ano, sete estabelecimentos, em 4 estados, foram contemplados pelo recurso.

Os hospitais habilitados pelo Incentivo para a Atenção Especializada aos Povos Indígenas (IAE-PI) recebem recursos anualmente e podem investir na ambientação de leitos hospitalares com redes, na disponibilização de intérpretes para atuar dentro das unidades de saúde e no apoio diagnóstico e terapêutico da população indígena.

Na última segunda-feira (16), o Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 148,5 mil para o Hospital São José, em Rodeio Bonito (RS). Com isso, a unidade oferecerá atendimento de atenção nos serviços de saúde prestados aos pacientes indígenas, considerando as especificidades desta população. Leia aqui a portaria que autoriza o investimento.  Outro estabelecimento que também foi habilitado para receber o IAE-PI, no mês de agosto, foi a Unidade Hospitalar de Amatura, no Amazonas, um montante de R$ 1.853.700,00.

“A SESAI trabalha em consonância com as culturas e tradições das etnias. A adaptação dos leitos, o acesso diferenciado, a dieta especial, tudo isso, no âmbito da atenção especializada, demonstra o respeito àquele indígena que precisa se deslocar de sua aldeia para realizar tratamento na rede SUS; e essa estrutura o faz se sentir acolhido. Por isso o IAE-PI é tão importante”, afirma o secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva.

Incentivo 

Em 2020, o Ministério da Saúde habilitou 17 estabelecimentos para receber Incentivo para a Atenção Especializada aos Povos Indígenas. Foram R$ 7 milhões aplicados no ano passado. As unidades estão localizadas em 8 estados.

Saiba mais sobre o IAE-PI 

As unidades de saúde que atendem pacientes indígenas podem aderir ao incentivo financeiro de acordo com os pré-requisitos e as condições descritos por meio da PORTARIA Nº 2.663, DE 11 DE OUTUBRO DE 2017. Esta normativa prevê a apresentação de um Plano de Metas e Ações (PMA) que detalha como é o cuidado diferenciado aos povos indígenas em relação ao acolhimento, à gestão da clínica, à integralidade do cuidado em rede, ao controle social, ao monitoramento e à avaliação dos pacientes.

PUBLICADO POR:    SAÚDE INDÍGENA MINISTÉRIO DA SAÚDE  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*