Dia dos Povos Indígenas: Movimento Laudato si’ e a petição on-line para ajudar as comunidades

“A atenuação dos efeitos do desequilíbrio atual depende do que fizermos agora”, afirma o Papa na encíclica Laudato si’. Uma oportunidade prática é mobilizar as comunidades para assinar a petição on-line “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis” que pede medidas urgentes em linha com a ciência para toda a criação em vista da COP15 de outubro e da COP26 de novembro.

Postada em: Vatican News

Os povos indígenas “não podem fazer isso sozinhos”, alerta Caroline Wambui do Movimento Laudato si’.

No Dia Internacional dos Povos Indígenas, celebrado nesta segunda-feira (9), a gerente de Biodiversidade e Clima do Movimento Laudato si’, Caroline Wambui, exorta a todos para assinar a petição “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis”, uma forma prática para “fazer com que as lideranças mundiais saibam como nos sentimos em relação à proteção da criação de Deus”, afirma ela. O documento “implora” medidas urgentes em linha com a ciência para toda a criação, sobretudo neste ano crítico de pandemia, “mais um sintoma alarmante de uma emergência ecológica. A humanidade não pode ser saudável em um planeta doente”, justifica a petição.

Home – Healthy Planet, Healthy People Petition (thecatholicpetition.org) 

Em artigo divulgado pelo site oficial do movimento católico, Caroline usa das palavras do Papa Francisco na encíclica Laudato si’ para motivar à colaboração de todos em prol dos povos indígenas e das comunidades locais, já que “eles não podem fazer isso sozinhos”: segundo o Pontífice, “a atenuação dos efeitos do desequilíbrio atual depende do que fizermos agora” (LS 161).

Petição “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis”

O Movimento Laudato si’ é o facilitar da campanha de assinaturas da petição on-line e que tem como alvo todas as lideranças políticas que vão participar da COP15 de outubro, a Conferência da ONU sobre Biodiversidade para definir as metas para proteger a criação, e a COP26 de novembro, a 26ª Conferências das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, quando os países irão anunciar os planos para cumprir as metas do Acordo de Paris. Antes desses encontros, explica o texto da petição, é responsabilidade dos católicos “levantar a voz dos mais vulneráveis, se mobilizar junto a eles” e “agir agora”, reconhecendo que os povos indígenas, por exemplo, “estão no centro da proteção da natureza e devemos apoiá-los”. E o documento lembra:

“Estamos avançando em direção a uma catástrofe global, que parece irreversível para nossa casa comum, com trágica perda de vidas em toda a criação – a menos que ajamos agora com grande urgência. Atuar em consonância com o que há de melhor da ciência disponível sobre as crises do clima e da biodiversidade é fundamental para a saúde e sobrevivência humana e planetária.”

No marco do Dia Internacional dos Povos Indígenas deste ano, Caroline recorda ainda que estamos celebrando “o papel dos Povos Indígenas na proteção da criação de Deus e da biodiversidade. Você sabia que os povos indígenas representam menos de 5% da população mundial, mas protegem 80% da biodiversidade mundial?”, questiona a gerente de Biodiversidade e Clima do Movimento Laudato si’. Ao assinar a petição “Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis”, finaliza Caroline, “você está ajudando os povos indígenas na região amazônica, onde comunidades indígenas, como os povos originários Huaorani, Sápara e Sarayaku Kichwa, vivem de forma sustentável há um milênio, alimentando-se sem prejudicar o meio ambiente”.

Andressa Collet – VATICAN NEWS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*