Dia Internacional dos Povos Indígenas: SasiSUS é uma conquista

Criado em 1999 e gerido pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), o Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) é uma conquista dos mais de 755 mil indígenas aldeados.

O SasiSUS é o único sistema no mundo voltado especificamente para uma parcela da população e foi criado com a garantia da participação e controle social, através dos conselhos locais, conselhos distritais e das conferências nacionais de saúde indígena.

Por isso, apesar da pandemia, esse 09 de agosto, Dia Internacional dos Povos Indígenas, é um dia para se comemorar e relembrar a importância e eficácia do subsistema. A população indígena brasileira atendida pelo SasiSUS foi priorizada pelo Governo Federal na vacinação contra a Covid-19. Até o momento, mais de 86% dos indígenas receberam a primeira dose da vacina e 77% estão totalmente imunizados. Apesar de todas as dificuldades logísticas e especificidades de cada região dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), os profissionais das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) não medem esforços para atender e vacinar os povos originários.

“O secretário especial de saúde indígena Robson Santos da Silva, exalta o importante trabalho realizado pelos 20 mil profissionais da SESAI, que levam atendimento de saúde para mais de 6 mil aldeias em todo o Brasil. Um trabalho diuturno, um trabalho feito com e para os indígenas. Tivemos resultados muito importantes durante a pandemia”, reforçou.

A SESAI vem, ao longo de toda pandemia, desenvolvendo estratégias de proteção, prevenção, diagnóstico e tratamento da COVID-19. Somente em 2020, foram mais de 12,1 milhões de atendimentos em saúde. Ademais, também vem intensificando a rede logística e o suprimento de insumos e equipamentos de proteção individual (EPI), estabelecendo fluxos de atendimento nas aldeias, Polos Base, Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI), dentre outros serviços, a fim de que seja organizado um fluxo específico para a COVID-19.

Ações

Junto com o Ministério da Defesa, a SESAI realizou 20 missões interministeriais em aldeias, onde foram feitos mais de 60 mil atendimentos. Todos os DSEI receberam, também, mais de 7,4 milhões de itens de insumos, como testes para covid-19, medicamentos e EPI. Foram realizadas 08 ações de enfrentamento à pandemia da COVID-19 e 05 de apoio à vacinação a partir de ação conjunta entre as Equipe Multidisciplinares de Saúde indígena dos DSEI e a Equipe Volante da SESAI, formada por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Foram efetivados mais de 39 mil atendimentos. Ocorreu a instalação de 353 Unidades de Atenção Primária Indígena – UAPI com suporte de condensadores de oxigênio. Essas unidades foram criadas especialmente para o enfretamento de casos leves a moderados da Covid-19 dentro das aldeias e permitiram que muitos casos não precisassem ser referenciados em unidades hospitalares. No total, foram investidos mais de 103 milhões de reais durante a pandemia.

Para exercer essas ações, a SESAI conta com 14,6 mil profissionais de saúde trabalhando diretamente em área indígena, sendo que 52% desses profissionais são indígenas.

Os pontos focais da Covid-19 em cada DSEI receberam capacitação por meio dos cursos: “Doenças ocasionadas por vírus respiratórios emergentes, incluindo a Covid-19”, ofertado pela Organização Mundial da Saúde; Curso de Prevenção e Papel dos Agentes Indígenas de Saúde (AIS) e de Agentes Indígenas de Saneamento (AISAN), para o enfrentamento da Covid-19 no âmbito da Saúde Indígena. Além disso, houve outros cursos de capacitação específicos promovidos pelos próprios DSEI.

As medidas relacionadas ao enfrentamento da Covid-19 são decididas pelo Comitê de Crise Central (no âmbito da SESAI), e pelos Comitês de Crise Distritais (no âmbito dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas) que é composto por 50% de usuários da saúde indígena, 25% de trabalhadores e 25% de gestores. A participação do controle social ocorre por meio do planejamento, acompanhamento e monitoramento da execução das ações de atenção integral à saúde indígena e determinantes ambientais.

Por: Patrícia Rodrigues – Nucom/SESAI

PUBLICADO POR:  Saúde Indígena – Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*