Funai participa de operação de combate ao garimpo ilegal em Roraima

A Fundação Nacional do Índio (Funai) participou de uma ação de combate ao garimpo ilegal no município de Alto Alegre, estado de Roraima. A operação conjunta, denominada Curare XIV / Ágata, foi realizada com órgãos de segurança e diversas agências e teve como objetivo desestruturar a logística que abastece a atividade de garimpo na Terra Indígena Yanomami.

Foto: Mário Vilela/Funai

Cerca de 350 militares, policiais e agentes foram empregados na operação, que resultou em duas detenções e na apreensão de mais de R$ 1 milhão em materiais relacionados à garimpagem ilegal na região. Foram apreendidos um helicóptero, uma aeronave e uma motocicleta, além de itens como revólver, pistola, espingarda e munições de diversos calibres.

As equipes apreenderam também 5,2 mil litros de óleo diesel; 750 litros de gasolina; 1,9 mil litros de querosene; uma lancha; motores de embarcação; motosserras; rádios, antenas via satélite; painel de energia solar; transformador de energia; uma bomba de combustível móvel; e peças de reposição para helicóptero e aeronave.

Entre as forças de segurança pública e agências que participaram da ação estão o Exército Brasileiro, Polícia Militar de Roraima, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil de Roraima, Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (FEMARH), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Atuação da Funai

A Funai conta com as Bases de Proteção Etnoambiental (Bapes) na Terra Indígena Yanomami: Serra da Estrutura, Walo Pali, Xexena e Ajarani. Todas essas unidades são responsáveis por ações permanentes e contínuas de proteção, fiscalização e vigilância territorial, além de coibição de ilícitos, controle de acesso, acompanhamento de ações de saúde, entre outras atividades.

No contexto da pandemia, a fundação já investiu cerca de R$ 17,2 milhões em ações de fiscalização em diversas Terras Indígenas no território nacional, entre elas a Yanomami. As atividades, em parceria com órgãos ambientais e de segurança pública competentes, são fundamentais para combater ilícitos, como garimpo e extração ilegal de madeira, e garantir a segurança das comunidades, prevenindo o contágio dessas populações pela covid-19.

Assessoria de Comunicação da Funai
com informações do Ministério da Defesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*