PF acompanha cumprimento de mandados de busca em investigação transnacional contra o tráfico ilegal de animais silvestres do Brasil

Brasília/DF – Nesta quinta-feira (22/4), data comemorativa do Dia da Terra, a Polícia Federal, por meio de seu Adido do Brasil nos Estados Unidos, acompanhou o cumprimento de mandados de busca no estado de Maryland, em apoio às investigações transnacionais de combate ao tráfico de vida silvestre. As ordens judiciais foram cumpridas por agentes e oficiais do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos (FWS) e do Departamento de Recursos Naturais de Maryland (DNR).

Polícia Federal – DPF

As investigações envolvem o tráfico ilegal de espécies raras e ameaçadas de peixes vivos conhecidos como killifish (Cyprinodontidae sp.)*, endêmicos no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa.

As operações nos Estados Unidos dão continuidades às investigações realizadas no Brasil e à atual cooperação com autoridades europeias. Até o momento, as investigações transnacionais identificaram uma rede global de 84 suspeitos de 24 países, que traficam essas espécies por meio de plataformas na internet, das mídias sociais e do contrabando dessas espécies raras, endêmicas e ameaçadas via correio internacional.

As investigações apontaram que os envolvidos se conectam por meio de clubes associativos e grupos de mídia social; participam frequentemente de viagens para coletar peixes diretamente da natureza, em habitats distantes e vulneráveis nos Estados Unidos, na América do Sul, na África e na Europa. Essas espécies, protegidas por lei e ameaçadas de extinção, são coletadas ilegalmente em terras públicas, parques nacionais e áreas protegidas, e depois vendidas em na internet e em mídias sociais.

Durante a execução dos mandados, as autoridades do Serviço de Pesca e Vida Silvestre apreenderam centenas de peixes de espécies ameaçadas de killifish.

  *O termo ‘killifish’ se refere a um grupo de espécies de peixes adaptadas a águas efêmeras (temporárias) e a habitats vulneráveis no mundo todo. Os killifish podem algumas vezes existir em habitats extremos. Os ovos dessas espécies podem ficar suspensos em um estado de ‘diapausa’, que os permite aguentar longos períodos de desidratação e aguardar na lama de leitos secos para que possam nascer nas poças sazonais que se formam na estação chuvosa, sobrevivendo por milhares de anos nesses habitats vulneráveis. Devido ao seu peculiar ciclo de vida, adaptação a ambientes extremos e resistência à poluição, as espécies de killifish se tornaram importante objeto de estudo científico relacionado à longevidade humana, tolerância a doenças e resistência à contaminação e a poluentes químicos.

 Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*