A Terceira Margem – Parte CXVI

Porto Velho, RO/ Santarém, PA ‒ Parte LXXXVI

Descendo o Rio Madeira ‒ XVII 

Conclusão à Respeito do Relatório Link 

O geólogo Link, à testa do DEPEX reuniu 14 geólogos e geofísicos brasileiros e estrangeiros da PETROBRAS e solicitou aos mesmos uma avaliação da existência de petróleo em todo o território nacional. O resultado desse estudo conjunto originou o Relatório Link.Os técnicos tinham sido ainda mais pessimistas nas suas avaliações do que o próprio Link, que acreditava como promissoras as rochas não-paleozoicas de Sergipe. Os nacionalistas e as esquerdas, todavia, atribuíram-lhe má-fé. Jango, tão logo assumiu a Presidência da República, colocou a PETROBRAS, sob nova gestão, que contratou geólogos franceses para rever o Relatório Link. O parecer dos franceses referendava definitivamente o Relatório Link.

Além da comprovada existência de petróleo no Município, há em Nova Olinda ocorrências mineralógicas, detectadas e catalogadas pelos órgãos oficiais do Governo. Foram descobertas, na década de 80, pela PETROMISA/PETROBRAS no Município de Nova Olinda do Norte, nas localidades de Fazendinha e Arari, reservas de silvinita de 1.002,3 milhões de toneladas, com teor médio de 18,5% de K2O equivalente, a maior jazida do mundo de silvinita.

A Presidente Dilma Rousseff afirmou, em março de 2011, que o Brasil vai explorar as jazidas de silvinita no Amazonas, de propriedade da PETROBRAS. A Presidente disse que o Brasil precisava buscar a autossuficiência na produção de fertilizantes, insumos essenciais na produção agrícola e que influenciam diretamente no preço dos alimentos. Infelizmente a promessa não foi cumprida e o Deputado Sinésio Campos [PT] afirmou peremptoriamente, em 17.10.2012, na Assembleia Legislativa do Amazonas [ALEMA]:

A exploração da silvinita significa a possibilidade de implantação no Estado do Amazonas de indústrias de fertilizantes e químicas, estimulando e alavancando a agricultura e gerando milhares de empregos. Vale ressaltar, que a exploração da silvinita no Amazonas, trará importante contribuição para o meio ambiente. Sobretudo, porque o NPK evitará a supressão de grande parte da nossa floresta. (Sinésio Campos)

Por Hiram Reis e Silva (*), Bagé, 24.12.2020 – um Canoeiro eternamente em busca da Terceira Margem.

(*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;

  • Campeão do II Circuito de Canoagem do Mato Grosso do Sul (1989)
  • Ex-Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);
  • Ex-Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);
  • Ex-Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM – RS);
  • Ex-Membro do 4° Grupamento de Engenharia do Comando Militar do Sul (CMS)
  • Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);
  • Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);
  • Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS – RS);
  • Membro da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER – RO)
  • Membro da Academia Vilhenense de Letras (AVL – RO);
  • Comendador da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Sul (AMLERS)
  • Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).
  • Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).
  • E-mail: hiramrsilva@gmail.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*