Parque Estadual da Serra dos Martítrios-Andorinhas recebe certificado de Rede Latinoamericana

O Parque Estadual da Serra dos Martítrios-Andorinhas (PESAM) e a APA Araguaia possuem um rico Patrimônio Espeleológico, representado por mais de 475 cavernas, com destaque para a Caverna Serra das Andorinhas, considerada de relevância muito alta, pois representa a maior de todas com 1.100 metros de desenvolvimento.

Recentemente, a Caverna Serra das Andorinhas foi reconhecida internacionalmente como Sítio de Importância para Conservação dos Morcegos (SICOM) pela Rede Latinoamericana e do Caribe para Conservação desses animais. Tal reconhecimento só foi possível graças aos estudos realizados nesta caverna por meio do projeto CaveGIS, realizado pelo curso de geografia da UNIFESSPA, coordenado pelo biólogo Maricélio Medeiros Guimarães, que também já trabalhou no IDEFLOR-Bio.

“Fui conhecer essa caverna com o pessoal da Fundação Casa da Cultura de Marabá em 2016, o primeiro dia foi um pouco frustrante, pois, apesar de termos localizado duas novas cavidades, não encontramos a Caverna Serra das Andorinhas. Contudo, ao retornar para o acampamento no final da tarde, fomos surpreendidos por uma nuvem de morcegos, formando uma revoada de cerca de 30 minutos”, pondera o Biólogo, Maricélio Guimarães, que realiza a pesquisa com morcegos desde 2000.

Trilha para a Caverna

No segundo dia da expedição, o grupo achou a Caverna Serra das Andorinha, mas o biólogo não encontrou um grande número de morcegos como esperava devido a revoada do dia anterior. Somente em sua segunda visita a essa caverna em 2017, ele encontrou o salão dos morcegos.

“Já sabia sobre a impotência da Caverna Serra das Andorinha, mas foi o grande número de morcegos que se abrigam nela que me levou, juntamente com os professores Abraão e Maria Rita, a elaborar em 2018 o projeto CaveGIS: Zoneamento Espeleológico da Caverna Serra das Andorinhas”.

Morcegos

Além dos morcegos, foram estudados os invertebrados e demais vertebrados da caverna, bem como as características físicas como gênese, espeleotemas e seu mapa foi refeito, delimitando uma área para ser utilizada para prática do espeleoturismo.

Segundo Doulas Costa, Gerente da Região Administrativa do Araguaia, após cinco campanhas pesquisando os morcegos desta caverna, foram apresentadas quatro espécies ameaçadas no Brasil, ou seja, quase 60% das espécies de morcegos presentes na lista nacional de espécies ameaçadas de extinção. Foram apresentadas também outras 12 espécies de morcegos, incluindo três do gênero Pteronotus que se concentra em cerca de 15 mil indivíduos.

As informações sobre a Caverna Serra das Andorinhas e os morcegos foram enviadas para a RELCOM, que após comprovar a relevância dessa caverna, emitiu em 28 de setembro de 2020 o certificado de SICOM S-BR-004, e depois de aprovado em reunião pela coordenadora do Brasil Susi Misael Pacheco, encaminhou tal reconhecimento no dia 20 de dezembro para a equipe do Parque.

De acordo com a Presidente do IDEFLOR-Bio, Karla Bengtson, essa certificação é extremamente valiosa, tendo conhecimento de que para obter esse resultado, é necessário haver uma quantidade relevante de espécies dentro da unidade de conservação. Ter esse reconhecimento é uma forma de mostrar a importância ecológica que o Parque tem para o estado do Pará.

Por Patricia Madrini (IDEFLOR-BIO) – PUBLICADA EM:  AGÊNCIA PARÁ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.