Governo Federal envia reforço de saúde para indígenas no DSEI Guamá-Tocantins

A 18ª Missão Interministerial de Combate à COVID-19 desembarca em aldeias do noroeste do Pará, nesta segunda-feira (23). O Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), e o Ministério da Defesa, por meio das Forças Armadas, enviam reforço para a população indígena do Polo Base Oriximiná, no Distrito Sanitário Especial Indígena Guamá-Tocantins (DSEI GUATOC), no período de 23 a 30 de novembro.

Foto: Saúde Indígena

O objetivo é levar suprimentos e atendimentos de saúde com médicos generalistas, pediatras, ginecologistas e infectologista. Isso evita a necessidade de deslocamento dos indígenas até às cidades para atendimento com especialistas.

A SESAI envia mais de 31 mil itens de suprimentos entre medicamentos e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para apoiar os profissionais de saúde do DSEI GUATOC que atuam na região. A população indígena do Polo Base Oriximiná é a segunda maior do DSEI com 2,4 mil indígenas. As aldeias estão em meio à selva amazônica, em locais de difícil acesso, onde só é possível chegar de helicóptero ou avião. Em algumas, o acesso fluvial é possível durante o período de cheia dos rios, com viagens que duram até 4 dias de barco.

O Ministério da Defesa envia 26 profissionais de saúde das Forças Armadas entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, além de veterinários para realizar o controle de zoonoses nas aldeias. Também é responsável pela logística da Missão com transporte dos suprimentos e das equipes de saúde. São 11 etnias na região, em 21 aldeias dispersas, da Bacia do Rio Trombetas até às proximidades das fronteiras do Brasil com a Guiana e Suriname.

O atendimento será feito nas Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI), escolas indígenas e em tendas montadas pelas Forças Armadas, em dez aldeias, para atender a população local e de aldeias vizinhas. A triagem dos pacientes está sendo feita pela Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena (EMSI) do DSEI GUATOC que atua periodicamente na região.

“Temos seis EMSI trabalhando nestas aldeias e instalamos seis UAPI – Unidade de Atenção Primária de Saúde Indígena – na área do Polo Base de Oriximiná. E até agora não temos nenhum caso de COVID-19 detectado nesta área. Priorizamos a Missão Interministerial ali por se tratar de um local de difícil acesso que precisa de consulta médica especializada para atender a demanda que foi reprimida durante a pandemia”, explica o Coordenador do DSEI GUATOC, Stanney Nunes.

Na área do Polo Base de Oriximiná há presença das etnias Kahyana, Kaxuyana, Hixkaryana, Tiriyó, Txikiyana, Tunayana, Xerew e Wai-wai dispersos em aldeias das Terras Indígenas Nhamundá-Mapuera, Trombetas-Mapuera e Kaxuyana-Tunayana. Para proteger os indígenas da contaminação por COVID-19, todos os profissionais e integrantes da Missão Interministerial passam por triagem médica e somente embarcam com apresentação do teste RT-PCR negativo para COVID-19. Os atendimentos são realizados com o uso obrigatório de Equipamento de Proteção Individual (EPI).

PUBLICADO EM:   SAÚDE INDÍGENA 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.