Funai renova o cadastro de 22 pistas de pouso em Terras Indígenas de Roraima

A Fundação Nacional do Índio (Funai) renovou, junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o cadastro de 22 pistas de pouso em Terras Indígenas no estado de Roraima.

Foto: Antônio Marcos Silva de Araújo/Sesai

O recadastramento é importante para que as pistas mantenham sua identificação perante à agência reguladora federal.

As pistas de pouso em Terras Indígenas são usadas para o deslocamento de indígenas em busca de serviços como operações bancárias e comerciais, venda de artesanato e atendimento de saúde.

Além disso, são importantes para as ações de órgãos sanitários, ambientais e de segurança pública. “Sem o recadastramento, não ocorre fiscalização por parte da Anac, o que representa perigo, já que os pilotos não apresentam plano de voo, impossibilitando o controle de tráfego aéreo”, explica o presidente da Funai, Marcelo Xavier.

A renovação é necessária quando ocorre o vencimento da inscrição no Cadastro de Aeródromos da Anac, que têm validade de 10 (dez) anos. O cadastro pode ser renovado por igual período, desde que estejam mantidas as condições técnicas do tráfego aéreo para as quais o aeródromo foi aberto, bem como seja respeitada a antecedência mínima de 60 (sessenta) dias antes do término do prazo de validade.

Assessoria de Comunicação/Funai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.