Apagão: prazo para reestabelecer energia no Amapá não é atingido

Nova previsão é para este sábado; falta de luz começou terça-feira

Linhas de transmissão de energia, energia elétrica -Marcello Casal Jr / Agência Brasil

A expectativa do restabelecimento, nessa sexta-feira, de parte da distribuição da energia elétrica no Amapá não se concretizou. O estado está sem luz há mais de três dias.

Um dos transformadores atingidos por um incêndio na terça-feira à noite foi recuperado, mas o nível necessário de purificação do óleo para acionar o equipamento não foi atingido.

Pelo Twitter, o governador Waldez Góes afirmou que a novo prazo repassado pelo governo federal para recompor 60% da carga de energia é este sábado.

Já medidas mais definitivas, como a chegada de outro transformador, também tiverem mudança nos prazos. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, reduziu para até dez dias o prazo para o restabelecimento total da distribuição de energia elétrica no estado do Amapá. Antes, esse prazo de espera era maior, 15 dias.

Nessa sexta-feira, Bento Albuquerque se reuniu com o presidente do Senado Davi Alcolumbre – que é do Amapá – e falou sobre os prazos.

As agências bancárias do Centro de Macapá e alguns caixas eletrônicos voltaram a funcionar depois que a Companhia de Eletricidade do Amapá conseguiu realizar manobras para garantir o fornecimento de energia para esses lugares.

Nossa produção recebeu relatos da volta da energia em alguns bairros próximos a hospitais e no centro da capital Macapá. Mas a informação não foi confirmada pelo governo do estado.

Ainda nessa sexta-feira, o governador Waldez Góes decretou situação de emergência no estado. A medida vai possibilitar a liberação de recursos do governo federal para o gerenciamento da crise causada pela falta de energia elétrica no Amapá.

Publicado em sexta-feira, 6 Novembro, 2020 – 21:11 Por Renata Martins – Brasília – Radioagência Nacional  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.