Acre recebe missão conjunta de reforço à saúde da população indígena

A 16ª missão do Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Defesa, desta vez desembarca no Distrito Sanitário Especial Indígena Alto Rio Juruá.

Entre os dias 3 e 12 de novembro, o Ministério da Saúde, em parceria com o Ministério da Defesa, realiza mais uma missão em prol da saúde da população indígena. A operação conjunta desta vez reforça a assistência aos povos indígenas do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Alto Rio Juruá, no Acre, com apoio aos profissionais de saúde que já atuam no DSEI.

Os atendimentos começam pelas aldeias do Polo Base Feijó e, logo depois, a missão segue para os polos base de Tarauacá, Jordão, Marechal Taumaturgo e Mâncio Lima. Nesta 16ª missão interministerial, as equipes da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e do Ministério da Defesa levam mais de três toneladas de medicamentos e insumos, como Equipamento de proteção individual (EPIs), álcool em gel 70% e teste para a Covid-19, além de máscaras, aventais, luvas e outros itens.

De acordo com o secretário Especial de Saúde Indígena, Robson Santos da Silva, a variedade de profissionais de saúde vai garantir o atendimento completo aos indígenas. “Estão indo médicos generalistas, infectologistas, pediatras, ginecologistas e que devem atender da melhor maneira possível os povos indígenas e reforçar o trabalho realizado pelo DSEI durante o ano inteiro. Além de médicos veterinários para o combate de zoonoses”, enfatiza. A estimativa é que sejam atendidos mais de oito mil indígenas no período da missão.

AÇÕES CONTÍNUAS

Ao longo do período da pandemia, o Ministério da Saúde tem desenvolvido estratégias para aprimorar o atendimento e uma das mais recentes é a criação da Unidade de Atenção Primária Indígena (UAPI). As unidades vão fortalecer os serviços de atenção primária à saúde indígena no atendimento desta população proporcionando o acolhimento dos casos suspeitos de Síndrome Gripal (SG) e identificação precoce de casos de Covid-19. Além disso, já foram instaladas alas indígenas em hospitais de Manaus (AM) e Macapá (AP), Vale do Javari, Pará (Belém, Marabá, Santarém) e Roraima (Boa Vista).

Também foi elaborado um Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo coronavírus em Povos Indígenas que detalha como as equipes de saúde devem agir conforme cada caso. Os DSEI também elaboraram seus respectivos Planos de Contingência Distritais para as diferentes situações de enfrentamento da Covid-19, respeitando as características de cada povo e suas necessidades específicas. Todo esse planejamento e estudo antecipado resultam em atendimentos rápidos e eficientes executados diretamente nas aldeias.

Em todos os casos, as equipes dos DSEI têm agido dentro do previsto no planejamento e realizado o isolamento de infectados, casos suspeitos e a transferência para a rede pública estadual e municipal dos pacientes que necessitem de suporte especializado em hospitais. Para isso, a SESAI emprega uma grande frota de veículos, embarcações e aeronaves para levar os indígenas em segurança até as cidades mais próximas que ofereçam o atendimento necessário.

Para oferecer atendimento rápido em situações de emergência, a Secretaria autorizou a contratação de 34 equipes de resposta rápida para atuar em cada DSEI. As equipes compostas por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem ficam disponíveis 24 horas para partir para o território indígena que apresentar, eventualmente, um aumento de casos repentino, reforçando assim o trabalho das equipes multidisciplinares de saúde indígena que já se encontram atuando normalmente nas aldeias.

Por Karina Borges

PUBLICADO EM:   MINISTÉRIO DA SAÚDE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.