Organizações de três países denunciam queimadas e desmatamento em territórios de povos isolados

O Informe Trinacional: Incêndios e Desmatamento em Territórios Registrados de Povos Indígenas em Situação de Isolamento lança um alerta internacional sobre a grave situação que enfrentam dos Povos Indígenas Isolados e traz recomendações para a implementação de medidas de proteção para esses povos e seus territórios. Acesse o informe completo AQUI.

Foto: Centro de Trabalho Indigenista CTI

Mais de vinte organizações indígenas e da sociedade civil, dentre elas o CTI, que formam parte do Grupo de Trabalho Internacional sobre os Povos Indígenas em Situação de Isolamento e Contato Inicial na Amazônia, no Grande Chaco e Cerrado Brasileiro (GTI PIACI), lançaram um alerta internacional sobre a ameaça que representam as queimadas e o desmatamento para os Povos Indígenas em isolamento, que habitam as regiões da Amazônia, do Grande Chaco Americano e Cerrado brasileiro, em Bolívia, Brasil e Paraguai.

Durante 2019, essas regiões sofreram dramáticos aumentos nas taxas de incidência de incêndios florestais e desmatamento, cenário que começa a se repetir em 2020, na medida em que as queimadas se estendem novamente pela Amazônia e pelo Grande Chaco Americano. Essa situação agrava a condição de extrema vulnerabilidade em que se encontram os grupos isolados, pois os incêndios e o desmatamento destroem os territórios que são o seu lar, onde desenvolvem sua cultura, e dependem de seus recursos.

O Informe Trinacional: Incêndios e Desmatamento em Territórios Registrados de Povos Indígenas em Situação de Isolamento chama a atenção sobre a grave situação que enfrentam os povos indígenas em isolamento e apresenta recomendações para os Estados, organismos multilaterais e a sociedade civil dos países onde habitam, com o objetivo de que se implementem medidas de proteção urgentes para estes povos e seus territórios.

Seguindo uma metodologia colaborativa, na qual participaram como protagonistas representantes de diversos povos indígenas, os pesquisadores analisaram informações provenientes de um total de 99 territórios indígenas registrados da Bolívia, Brasil e Paraguai. Tais dados permitiram constatar um aumento vertiginoso dos focos de calor em 2019, com relação a 2018: 258% na Bolívia, 259% no Brasil e 185% no Paraguai. Do mesmo modo, as fontes de calor detectadas nas 32 unidades de conservação (áreas protegidas) com a presença de Povos Indígenas em Isolamento em 2019, em comparação com 2018, aumentaram em 744.38% na Bolívia, 347.87% no Brasil e 44.15% no Paraguai.

O Informe Trinacional está baseado em informes locais de incêndios, elaborados respectivamente pela Coordenação de Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB) no Brasil, a Iniciativa Amotocodie (IA) no Paraguai, e a Central Indígena de Comunidades Tacana II do Rio Madre de Dios (CITRMD) na Bolívia.

Categorias: Notícias, Povos Indígenas Isolados                      

PUBLICADO EM:   CTI CENTRO DE TRABALHO INDIGENISTA 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.