Comunicação via satélite reforça monitoramento territorial da Funai na Amazônia Legal

Numa parceria entre a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), 41 novas antenas de comunicação via satélite (VSATs) foram instaladas nos últimos meses em pontos da Amazônia Legal nos estados do Mato Grosso, Pará, Amazonas, Rondônia e Acre.

Antenas
Foto: Censipam/Ministério da Defesa

O objetivo é reforçar o monitoramento das terras indígenas, bem como melhorar o sistema de comunicação nas unidades descentralizadas da Funai e em aldeias da região.

Segundo o coordenador de Informação Territorial da Funai (COIT), Greison Moreira, em muitos lugares, as antenas são o único meio de comunicação das comunidades e das unidades da fundação em regiões isoladas. “A ação beneficia diversas aldeias e contribui com o trabalho que acontece nas pontas via Coordenações Regionais, Coordenações Técnicas Locais e Bases de Proteção Etnoambiental da Funai”, comenta o coordenador.

Antenas2
Foto: Censipam/Ministério da Defesa

A inciativa faz parte programa Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC), gerenciado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que oferece conexão à internet, via terrestre e satélite, em localidades remotas na Amazônia Legal. O programa está em fase de substituição das antigas antenas pelos novos terminais. O sistema anterior tinha velocidade média de 560 Kbps, já o atual chega a 10 Mbps e apresenta menor peso e tamanho.

Por meio de parcerias institucionais, o Censipam fornece atualmente mais de 500 terminais de comunicação via satélite a órgãos e entidades em toda a Amazônia Legal. O Centro também disponibiliza à Funai outros produtos para monitoramento ambiental e territorial. Entre eles, estão o mapeamento de áreas de garimpos irregulares e imagens de satélite para identificar desmatamento em terras indígenas.

Assessoria de Comunicação / FUNAIcom informações da COIT e do Censipam

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.