Queimadas deixam marcas profundas na Amazônia

Vastas áreas foram destruídas por desmatamento e fogo nos últimos anos, enfraquecendo o solo e até mesmo a vegetação que resistiu às chamas. Especialistas preveem que 2020 terá novos recordes de destruição ambiental

O ano de 2020 está se configurando como um novo período destrutivo para a Floresta Amazônica no Brasil. O desmatamento aumentou significativamente, de acordo com observadores. E muitos especialistas temem que a região possa ver uma repetição dos destrutivos incêndios florestais de agosto e setembro do ano passado.

Dados de satélite divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em 1º de agosto mostraram mais de 6.800 incêndios na região amazônica em julho, um aumento de 28% em relação ao mesmo mês do ano passado. E ainda é cedo – agosto é geralmente considerado o início da temporada de incêndios, que normalmente ocorrem durante os meses mais secos. Mais de 10 mil incêndios foram registrados nos primeiros dez dias deste mês, um aumento de 17% em relação ao mesmo período de 2019, segundo o Inpe.

Leia na íntegra: Deutsche Welle Brasil   

PUBLICADO EM:   JORNAL DA CIÊNCIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.