Queimadas na Amazônia têm alta de 28% no mês de julho, informa Inpe

Mesmo após uma série de pressões de investidores nacionais e internacionais por ações para a preservação da Amazônia, o mês de julho fechou com uma alta de 28% no total de focos de incêndio na floresta, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados divulgados neste sábado (1.º) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Queimada em área da floresta amazônica
© FOTO GABRIELA BILO / ESTADAO Queimada em área da floresta amazônica

É o pior dado desde 2017. Por outro lado, no acumulado do ano, entre janeiro e julho, o total de queimadas neste bioma teve queda de 7,6%.

A floresta amazônica teve 6.803 focos de de incêndio, contra 5.318 focos registrados em julho de 2019. O recorde para o mês, de 2017, foi de 7.986 queimadas detectada pelo instituto.

O mês anterior já havia sido o pior junho dos últimos 13 anos, de acordo com os números do Inpe.       

Só os dias 30 e 31 de julho foram responsáveis por cerca de 1.500 focos, o que contribuiu para a alta do mês. Para a geógrafa Ane Alencar, pesquisadora do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), a redução das queimadas no acumulado do ano está mais relacionada a uma conjunto de queimadas atípicas registradas em Roraima no ano passado do que uma redução no comportamento dos incêndios deste ano.

Bruno Ribeiro        

PUBLICADO EM:    MSN NOTÍCIAS       ESTADÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d blogueiros gostam disto: