Governo lança campanha “Diga sim à vida e não à queimada”

Objetivo é manter a vigilância contínua contra as queimadas e chamar a população para participar das ações de preservação na região da Amazônia.

site icmbio

“Diga Sim à Vida e Não à Queimada” é tema de campanha lançada neste mês pelo Governo Federal. A ação é do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), que tem o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, no comando, e ministérios. A iniciativa tem como objetivo manter a vigilância contínua contra as queimadas e chamar a população para participar das ações de preservação na região da Amazônia.

As queimadas na região preocupam, sobretudo, no período do verão amazônico, nos meses de agosto a novembro, quando o clima e a vegetação estão mais secos. “As queimadas trazem prejuízos à saúde e à segurança da população e, obviamente, à economia. Também trazem prejuízo à imagem da região amazônica, em particular, e do nosso Brasil, de uma maneira geral”, disse o vice-presidente.

Hamilton Mourão convidou a população a ser aliada do Brasil na causa da preservação da floresta e disseminar a campanha. O material da campanha Diga Sim à Vida e Não à Queimada está disponível aqui. As pessoas podem, inclusive, baixar o avatar e a capa da campanha para viabilizar nas suas redes sociais com a hashtag “queimadanão”.

A campanha ocorrerá por etapas e englobará a distribuição de cartazes na região amazônica, conteúdo gráfico para mídias sociais, spots de rádio, vídeos curtos, questionário de conscientização, e entrega de cartilhas a produtores rurais, povos tradicionais e comunidade local, além de entrevistas e publicações de notícias e releases pelos órgãos envolvidos.

Moratória do fogo

Uma medida adotada recentemente pelo Governo Federal para proteger a floresta amazônica e diminuir os efeitos dos incêndios florestais foi a publicação, no dia 16 de julho, de um decreto conhecido como moratória do fogo, que proíbe, por 120 dias, o uso das queimadas legais no território nacional com atenção especial para a Amazônia e o Pantanal.

A suspensão não será aplicada em casos, como por exemplo, nas práticas agrícolas de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas e no controle fitossanitário, desde que autorizado pelo órgão ambiental competente. A iniciativa havia sido tomada também em 2019 pelo Governo Federal. A intenção é que o produtor rural substitua o uso do fogo nas atividades agrícolas e pastoris por métodos mais seguros.

APP Guardiões da Amazônia

Um aplicativo de celular foi criado para facilitar as denúncias de crimes ambientais de desmatamento, queimadas e garimpo ilegal na região da Amazônia.

O aplicativo Guardiões da Amazônia está disponível desde junho e permite que o cidadão registre com foto e coordenada geográfica o local exato de uma queimada ou a denúncia de outros crimes ambientais. A informação é repassada ao órgão fiscalizador para que sejam tomadas as providências.

A denúncia pode ser feita de forma anônima. Quem preferir se cadastrar tem a garantia de que não terá os dados expostos.

O Guardiões da Amazônia foi lançado pela 17ª Brigada de Infantaria de Selva para apoiar a Operação Verde Brasil 2, criada para prevenir e reprimir delitos ambientais na Amazônia Legal.

Os aplicativos estão disponíveis para download em:

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.mil.eb.guardioesdaamazonia

IOS: https://apps.apple.com/us/app/id1522983426

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.