Operação apreende 272 quilos de pescados na Resex Ipaú-Anilzinho

Equipe da unidade, que contou com o apoio da Polícia Militar do Pará, também expediu 21 autos de infração por crimes ambientais de caça, corte ilegal de árvores e pesca predatória.
fotoRodrigoFigueiredo
Apreendidos, peixes foram doados às associações comunitárias da Resex. (Foto: Rodrigo Figueiredo)

A equipe da Reserva Extrativista (Resex) Ipaú-Anilzinho, no Pará, realizou durante 10 dias a Operação Resex Legal para combater ilícitos ambientais no interior da unidade e no entorno. O resultado do trabalho (do dia 9 até 19) foi 21 autos de infração por crimes de caça, pesca predatória e cortes ilegal de árvores protegidas, como a castanheira. A equipe apreendeu 272 quilos de pescados (incluindo tucunaré com tamanhos inferiores ao permitido), que foram doados às associações comunitárias da Resex.

Além de multados, os pescadores foram orientados sobre as regras de uso da Resex, especialmente aquelas relacionadas à atividade de pesca, com base na Instrução Normativa Interministerial MAPA/MMA N° 13, de 25/10/2011, devido à presença de lagos que servem como berçários de peixes. Duas pessoas de fora da unidade de conservação foram flagradas e encaminhadas à Delegacia de Tucuruí pelo transporte de vários espécimes da fauna silvestre nativa e devem responder civil e administrativamente pelo crime.

A operação contou com um planejamento estratégico a partir de rondas e barreiras terrestres e fluviais, abrangendo trecho da rodovia BR-422 e da margem esquerda do rio Tocantins, com o apoio da Polícia Militar do Pará (PMPA). Segundo o chefe da Resex Ipaú-Anilzinho Rodrigo Figueiredo, a operação de fiscalização também tem o objetivo de reforçar a presença institucional do ICMBio dentro da unidade de conservação em diferentes períodos do ano. “Desde 2017, realizamos a operação Resex Legal, sempre com o objetivo de combater ilícitos ambientais”, ressalta o chefe da unidade. Essa é mais uma ação do ICMBio de tolerância zero contra os crimes ambientais.

Sobre a unidade

Situada na zona rural do município de Baião, interior do Pará, a Reserva Extrativista Ipaú-Anilzinho completou 15 anos de criação no dia 14 de junho deste ano. A área tem 56 mil hectares com rico patrimônio socioambiental e abriga 430 famílias, que vivem das atividades produtivas com os castanhais, além da agricultura de subsistência e a pesca artesanal. A unidade de conservação foi criada para proteger um importante território com ecossistemas terrestres e aquáticos, onde as águas convergem para o rio Tocantins, e modos de vida culturalmente diversos.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.