Com novo monitoramento, Inpe amplia resolução e revisita áreas críticas da Amazônia

Fiscalização do Ibama só atende 4 das 10 áreas com mais atividades de desmatamento na região

O sistema de monitoramento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) anunciado pelo governo na terça (14) está em vigor desde fevereiro por iniciativa dos técnicos do órgão em parceria com equipes do Ibama.

Com o anúncio do novo sistema, o diretor interino do Inpe, Darcton Damião, e o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, buscaram afastar as suspeitas de interferência no monitoramento do desmatamento e de queimadas na Amazônia.

Elas foram levantadas com a exoneração da coordenadora de Observação da Terra do Inpe, Lúbia Vinhas, na segunda-feira (13), e a reestruturação do Inpe, denunciada por técnicos em cartas reveladas pela Folha no mesmo dia.

Chamado de Deter intenso, o monitoramento consiste em um reforço do Deter (sistema que desde 2004 produz alertas diários de desmatamento para embasar a fiscalização do Ibama), concentrado nas áreas que mais têm atividades de desmatamento da Amazônia.

Leia na íntegra: Folha de S. Paulo   

PUBLICADO EM:      JORNAL DA CIÊNCIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.