Desmate e queimadas em alta: qual o cenário para a Amazônia

Índices do primeiro semestre de 2020 crescem na comparação com o mesmo período de 2019. Pandemia dificulta trabalho de fiscalização

A Amazônia registrou em 2020 o junho com mais queimadas florestais em 13 anos, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), órgão do governo federal que monitora a região. Foram 2.248 focos de calor detectados no mês, quantidade que não se via desde junho de 2007.

A alta recente das queimadas acompanha o aumento de cerca de 12% do desmatamento acumulado na região de janeiro a junho, quando se compara com o mesmo período em 2019, segundo dados parciais também do Inpe. Ao todo, foram 2.465 km² de floresta derrubada no primeiro semestre, equivalente a 1,6 da área da cidade de São Paulo.

Veja o texto na íntegra: Nexo 

PUBLICADO EM:       JORNAL DA CIÊNCIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.