PF combate crimes ambientais no Amapá

Operação Marrocos fecha serrarias clandestinas em Mazagão/AP

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (10/6), a Operação Marrocos*, para combater crimes ambientais, visando reprimir instalação de serrarias sem autorização legal, crime de receptação e desmatamento de área pública, em Mazagão, no Amapá.

Na ação, que contou com a participação de integrantes do Exército Brasileiro (EB) e agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recurso Naturais (IBAMA), cerca de 50 policiais federais dão cumprimento a 7 mandados de busca e apreensão em serrarias clandestinas instaladas às margens da foz do Rio Mazagão, em Mazagão/AP.

A operação também contou com a participação do Grupo de Bombas e Explosivos (GBE) da Polícia Federal, pois todas serrarias tiveram suas atividades encerradas, após destruição de suas instalações e equipamentos utilizados exclusivamente na atividade ambiental criminosa.

As investigações iniciaram após denúncia de moradores da região, que perceberam as atividades irregulares. A partir daí, constatou-se que diversas serrarias, localizadas no município do Mazagão/AP, estavam atuando sem autorização do IBAMA e comercializando madeira sem origem legal.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de receptação, instalação de estabelecimento potencialmente poluidor, sem autorização do órgão ambiental, desmate ou degradação de floresta em terra pública e receber e/ou adquirir madeira sem licença.

Se condenados, poderão cumprir pena de até 9 anos e 6 meses de reclusão.

*Marrocos – O nome faz referência ao nome da cidade de Mazagão. Ela foi escolhida para receber a população da então possessão portuguesa de Mazagão, no Marrocos, abandonada por ordem do Marquês de Pombal.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

cs.srap@dpf.gov.br | www.pf.gov.br

Contato: (96) 3213-7500  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.