Pesquisas ecológicas de longa duração no Pantanal e na Amazônia

Como parte da Semana do Meio Ambiente, o corpo técnico-científico do Museu Goeldi se dedica a uma série de programações virtuais nos próximos dias. Uma delas se dará nesta quinta-feira (04), às 10h, com o bate-papo organizado pela Universidade do Estado de Mato Grosso.

Agência Museu Goeldi – O Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) se a integra ao calendário da Semana do Meio Ambiente em ótimas oportunidades de troca de conhecimento científico por meio de ferramentas virtuais, prática que tem se ampliado com a necessidade de distanciamento social diante da pandemia provocada pela Covid-19. Nesta quinta (04), às 10h, no canal PELD DARP do Youtube, os internautas poderão acompanhar o bate-papo sobre “Lições de ecologia de floresta inundável aprendidas nos PELD´s e tendências futuras”.

PELD é a sigla do Programa de Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD), criado pelo governo brasileiro no final dos anos 1990 e dedicado a formar uma rede de sítios de referência para a pesquisa científica no tema de Ecologia de Ecossistemas. O Museu Goeldi coordena o PELD Caxiuanã, na Floresta Nacional de mesmo nome no Arquipélago do Marajó. O bate-papo é parte da programação do I Seminário PELD Pantanal, promovido pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

O Museu Goeldi participa do debate “Lições de ecologia de floresta inundável aprendidas nos PELD´s e tendências futuras” com os pesquisadores Leandro Valle Ferreira, coordenador do PELD na Floresta Nacional de Caxiuanã (PA), e Maria de Lourdes Ruivo, vice-coordenadora do Programa de Pós-graduação em Ciência Ambientais (MPEG/Embrapa/UFPA). Eles se unem à live com Maria Tereza Piedade (Inpa) e Solange Ikeda (Unemat).

As pesquisas ecológicas de longa duração se traduzem em coletas de informações durante longas séries temporais de dados sobre os ecossistemas e a biota associada a eles. Elas se dedicam ainda a estimular a transferência para a sociedade do conhecimento gerado ao longo deste processo, no intuito de contribuir para o desenvolvimento ambientalmente sustentável do país. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) executa atualmente 34 sítios de pesquisa em diversos ecossistemas no Brasil.

Sediado na Amazônia brasileira, o Museu Goeldi, desde 2013, conta com o Campus Avançado do Pantanal, em Cuiabá (MT), como estratégia para consolidar o Instituto Nacional de Pesquisas do Pantanal (INPP). Bioma brasileiro diversificado, o Pantanal é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta, influenciada por rios que drenam a bacia do Alto Paraguai e por outros três importantes biomas: Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica.

Com uma riqueza e beleza natural exuberantes, o Pantanal vem sendo muito impactado pela ação humana, principalmente pela atividade agropecuária, especialmente nas áreas de planalto adjacentes do bioma.

Serviço | “Lições de ecologia de floresta inundável aprendidas nos PELD´s e tendências futuras”

Data/hora: 04 (quinta), às 10h, no horário de Brasília.

Endereço web: canal PELD DARP no Youtube

PUBLICADO EM:       MUSEU GOELDI   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.